Coronavírus

São Paulo Prefeitura e Butantan confirmam mais 28 casos da variante delta

Prefeitura e Butantan confirmam mais 28 casos da variante delta

Até o momento, a São Paulo registra 50 diagnósticos para a nova variante. Casos são investigados pelas UBSs da rede municipal

Butantan e prefeitura confirmam mais 28 casos da variante Delta em SP

Butantan e prefeitura confirmam mais 28 casos da variante Delta em SP

Divulgação / Governo do Estado de SP - 02.04.2020

O monitoramento ativo da Prefeitura de São Paulo, em parceria com o Instituto Butantan, detectou, nesta terça-feira (3), 28 amostras da variante delta do novo coronavírus no município de São Paulo. Até o momento, a capital registra 50 diagnósticos para a nova variante. Os casos estão em investigação pelas respectivas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da rede municipal.

O monitoramento das variantes na capital é realizado por meio de cálculo amostral, por semana epidemiológica. As amostras seguem para análise do laboratório do Instituto Butantan, do governo do Estado, onde é realizado o sequenciamento genético.

Além dessa ação de monitoramento, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) também realizou parceria com o Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade de São Paulo (USP) e possui a vigilância do laboratório estadual do Instituto Adolfo Lutz.

Semanalmente, cerca de 600 amostras são enviadas aos respectivos laboratórios. O objetivo do trabalho é identificar quais cepas circulam pela cidade. A ação com os laboratórios foi iniciada em abril de 2021.

Em coletiva de imprensa desta terça-feira, o secretário municipal de saúde, Edson Aparecido, ressatlou a preocupação da prefeitura com as variantes. Em relação  às variantes alfa, beta, gama e delta, há prevalência da variante gama até o momento, segundo a secretaria municipal de saúde. 

"Em abril, surgiu a variante Delta e em menos de dois meses ela ocupou todo o cenário de prevalência da pandemia. Isso ocorreu na França, Reino Unido. EUA e Espanha. Temos a presença dela no México e no Brasil, o surgimento da Delta em meados de julho", disse Aparecido.

Em São paulo, o primeiro caso de contágio pela variante Delta foi diagnosticado no dia 5 de julho. Entre os dias 16 e 20 de julho, foram notificados mais 7 casos confirmados. Nesse momento, confirmou-se a possibilidade de transmissão comunitária.

Em 21 de julho, mais 4 casos foram registrados, no dia 22 de julho, mais um caso. Por fim, no dia 27 de julho, o Butantan realizou o sequenciamento genético da variante Delta. Com o surgimento da Delta, foram realizadas 14.380 ações comunitárias com 2.297.579 pessoas abordadas.

Diante desse cenário, a secretaria de saúde anunciou que vai começar a distribuir máscaras N-95 em toda a rede para sintomáticos respiratórios. "Inicialmente, 500 mil máscaras serão distribuídas para a contenção da variante Delta. Também ocorrerá o fornecimento de oxímetro para grupos de risco, gestantes e pessoas com comorbidades", afirmou Aparecido.

Nos trabalhos realizados pelas barreiras santiárias pela secretaria, foram abordados, de 27 de maio a 29 de julho, 14.615 mil onibus, 1.158 voos checados, 328.440 pessoas abordadas em terminais rodoviários. Foram 178 sintomáticos identificados e monitorados.

Últimas