Novo Coronavírus

São Paulo Prefeitura entrega 29 leitos de UTI e promete chegar a 600 neste mês

Prefeitura entrega 29 leitos de UTI e promete chegar a 600 neste mês

Segundo prefeito, no início do ano, cidade de SP tinha 507 vagas em UTIs. Agora, processo foi acelerado para tratamento de pacientes com covid-19 

  • São Paulo | Joyce Ribeiro, do R7

Prefeitura inaugurou 124 leitos para pacientes com suspeita de coronavírus

Prefeitura inaugurou 124 leitos para pacientes com suspeita de coronavírus

Divulgação / Leon Rodrigues Prefeitura de SP

O prefeito Bruno Covas inaugurou neste sábado (18) 124 novos leitos para pacientes com covid-19 no Hospital Municipal da Bela Vista, na região central de São Paulo. Do total, 29 são de UTIs (Unidade de Terapia Intensiva), mas outros poderão ser adaptados para receber casos mais graves da doença quando chegarem os equipamentos. A promessa é chegar a 600 leitos de UTI até o fim do mês.

"No início do ano, a cidade de São Paulo tinha 507 leitos de UTI. Até o fim de abril, serão mais 600 e outros 333 ficarão prontos em maio. Um aumento de 933 leitos de UTI em relação ao início da pandemia", afirmou Covas.

Leia mais: Covid-19: isolamento na capital atrasa casos no interior de SP

Segundo o prefeito, 65% dos leitos da rede pública já estão ocupados na capital. De acordo com a prefeitura, a nova unidade será referência para pacientes suspeitos e confirmados de covid-19 e é o primeiro Hospital Geral do centro, a única área da cidade que ainda não tinha este tipo de estrutura.

O secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, destacou que o investimento no hospital foi de R$ 6,6 milhões para adequação do prédio. "O custeio da unidade é de R$ 8,5 milhões, mas o Ministério da Saúde ajudou na implantação com recursos. Agora, o prefeito autorizou o uso de R$ 106 milhões para compra de respiradores e a ideia é aumentar o número de leitos", explicou o secretário. 

Veja também: Governo de São Paulo prorroga quarentena até 10 de maio

O hospital da Bela Vista tem 597 funcionários, entre médicos intensivistas, plantonistas, infectologistas, além de suporte de cirurgiões gerais, nefrologistas, hematologistas, cardiologistas, pneumologistas e anestesistas, e tomógrafo para exames e diagnósticos. "Com esses 600 profissionais, a prefeitura já contratou 7.200 pessoas, com auxílio das organizações de saúde, para enfrentamento do coronavírus", disse o prefeito.

O hospital não é aberto ao público e já pode começar a receber pacientes vindos de outras unidades da rede pública de saúde, a partir da tarde deste sábado. As internações são controladas pela Secretaria Municipal da Saúde.

Leia ainda: Isolamento social volta a cair para 49% em São Paulo, diz governo

Localizado no bairro da Consolação, o hospital foi instalado em um antigo prédio desativado e foi alugado pela prefeitura, que fez a reforma e adequações no imóvel.

Após a pandemia do novo coronavírus, o Hospital Municipal da Bela Vista será voltado, prioritariamente, ao atendimento de pessoas em situação de rua.

Em visita à unidade, Bruno Covas voltou a pedir que a população respeite a quarentena e evite viajar neste feriado prolongado de Tiradentes. "Não é o momento de viagem e nem de festa, ficar em casa é um ato humanitário", ressaltou.

Últimas