São Paulo Prefeituras apuram vacinação irregular em faculdade do ABC

Prefeituras apuram vacinação irregular em faculdade do ABC

Fundação do ABC disse que "são falsas as denúncias de fura-fila por funcionários do setor administrativo da instituição"

  • São Paulo | Nayara Paiva e Marcos Rosendo, da Agência Record

ABC apura ilegalidade em vacinas

ABC apura ilegalidade em vacinas

Eric Gaillard/Reuters - 29.04.2021

As prefeituras de Santo André e São Caetano do Sul, na região do ABC Paulista, estão investigando possíveis irregularidades na vacinação de 80 profissionais do setor administrativo da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC).

Por meio de nota, a Fundação do ABC, Organização Social de Saúde responsável pela faculdade, disse que "são falsas as denúncias de fura-fila por funcionários do setor administrativo da instituição".

No entanto, segundo a organização, um ofício no qual o Centro Universitário FMABC solicita doses de vacina à Prefeitura de Santo André, "identificou-se que todos os 80 nomes listados (somente 7 nomes são da Fundação do ABC e os demais da FMABC) não mantinham relação direta com os setores mencionados no documento e não trabalhavam nos ambulatórios mencionados, mas sim em áreas administrativas".

A Fundação do ABC afirma que solicitou explicações sobre os nomes de funcionários administrativos na lista para serem vacinados, mas ainda "não recebeu as explicações sobre os erros identificados no documento do Centro Universitário".

"Por fim, a Fundação do ABC reitera que os funcionários vacinados mencionados na denúncia falsa são trabalhadores da Saúde, com funções específicas, ligados diretamente ao combate à pandemia e com presença constante em ambientes contaminados, cuja imunização está prevista e em conformidade com o Plano Nacional de Vacinação Contra a Covid-19", disse a nota da organização.

A Secretaria de Saúde de Santo André disse que "estão sendo apuradas e serão levadas às autoridades competentes". A pasta de São Caetano do Sul também disse que "tão logo tomou conhecimento da denúncia, na quarta-feira (28/4), a secretária municipal de Saúde determinou a abertura de sindicância para apurar os fatos e adotar as medidas administrativas cabíveis".

Últimas