São Paulo Presos 12 integrantes de grupo que rouba relógios de luxo em São Paulo

Presos 12 integrantes de grupo que rouba relógios de luxo em São Paulo

Um dos catorze relógios de luxo encontrados com o grupo custa R$ 250 mil. Investigação começou em julho, quando um dos suspeitos foi identificado

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Doze suspeitos de integrar um grupo especializado em roubar relógios de luxo foram presos em São Paulo. Eles agiam, principalmente, em bairros nobres. A investigação começou em julho, quando um dos suspeitos foi identificado, depois de ter cometido um assalto.

Leia também: Ex-marido faz mulher e sogro reféns após atacá-los a facadas

Um dos relógios apreendidos custa R$ 250 mil

Um dos relógios apreendidos custa R$ 250 mil

Reprodução/Record TV

Policiais civis cumpriram os mandados de prisão na região metropolitana de São Paulo. Em dos endereços, o homem apontado como chefe do grupo ainda dormia quando a polícia chegou. Um dos 14 relógios de luxo encontrados com o grupo custa R$ 250 mil.

A investigação começou em 30 de julho. Câmeras de segurança flagraram um homem de moto, roubando o relógio de uma vítima, que estava dirigindo. Para impedir a fuga do suspeito, a vítima reagiu, deu marcha ré e derrubou o assaltante, que deixou pra trás o relógio, o capacete e o celular. Por conta das imagens, o homem foi identificado.

Veja também: Vídeo: homem de muletas participa de roubo de carro no ABC 

Interceptações telefônicas levaram a polícia ao restante do grupo, que usava olheiros para escolher as vítimas em bairros nobres da capital paulista. Os criminosos se passavam por  motoristas de aplicativo e passageiros para não levantar suspeita ao rondar restaurantes, bares e hotéis. Os assaltos eram cometidos por dois homens, em  motos, também disfarçadas com baús de empresas que fazem delivery.

Nos últimos três meses, houve ao menos sete roubos. Em um deles, a um posto de combustíveis, eles levaram o relógio importado e correntes de ouro do motorista. A polícia acredita que os crimes eram encomendados de Curitiba, no Paraná.

Últimas