Presos suspeitos de vender testes rápidos de covid-19 em São Paulo

Foram recuperados 875 kits, cada um vendido a R$ 250, Material faz parte dos cerca de 15 mil testes levados no Aeroporto de Guarulhos no sábado (11)

Polícia recuperou 875 kits, vendidos a R$ 250

Polícia recuperou 875 kits, vendidos a R$ 250

Reprodução/Record TV

Dois homens suspeitos de comercializar testes rápidos para detecção do novo coronavírus foram presos na zona leste de São Paulo nesta segunda-feira (13).  Foram recuperados 875 kits, cada um vendido a R$ 250, segundo dados divulgados pela Polícia Civil nesta terça-feira (14). O material faz parte dos cerca de 15 mil testes levados no Aeroporto de Guarulhos. 

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

A investigação conduziu agentes da 2ª Delegacia de Investigações sobre Roubo e Furto de Cargas à Rua Cantagalo, no bairro Tatuapé. A equipe chegou ao endereço depois de descobrir que o grupo fazia negociações de testes levados do aeroporto.

Leia também: Butantan recebe 726 mil testes de coronavírus vindos da Coreia do Sul

A localização de um suspeito de envolvimento no esquema ajudou os agentes a avançarem na apuração do caso. Após ser preso pelos policiais civis, o homem, que portava 25 kits de teste, foi interrogado e acabou revelando que conseguiu o material em uma residência localizada na Rua Vitoantonio Del Vecchio, na Mooca. Ao se dirigir ao local, os agentes prenderam o morador do imóvel e apreenderam 34 caixas contendo testes rápidos, além de R$ 6,8 mil em dinheiro. Os dois suspeitos responderão por receptação qualificada.

Outras prisões

No sábado (11), a Polícia Civil de São Paulo prendeu 14 pessoas que teriam furtado testes de covid-19 no Aeroporto Internacional de Guarulhos. As detenções foram feitas no bairro do Ipiranga, na zona sul da capital.

Veja também: Associação de delegados lança guia para policiais de SP contra covid-19

Durante a ação, foram encontradas 15 caixas com 14.500 kits de testes e cerca de 2,1 milhões de máscaras descartáveis, distribuídas em 435 caixas. O Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), que coordenou a operação, também recolheu um machado, uma faca, uma carabina calibre 40, uma espingarda calibre 12 e três pistolas calibre 380.