São Paulo Prevent Senior rebate depoimentos da CPI de SP nesta quinta (21)

Prevent Senior rebate depoimentos da CPI de SP nesta quinta (21)

Operadora afirma que as falas do coordenador da Conep, Jorge Venâncio, e da advogada Bruna Morato são falsas e fantasiosas

  • São Paulo | Do R7

Operadora de saúde diz que depoimento de advogada é fantasioso

Operadora de saúde diz que depoimento de advogada é fantasioso

ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 21/10/21

A Prevent Senior rebateu as alegações feitas pelo coordenador da Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa), Jorge Venâncio, e pela advogada Bruna Morato, que representa 12 médicos que trabalhavam na operadora de saúde, durante os depoimentos na CPI da Câmara Municipal de São Paulo nesta quinta-feira (21).

Jorge Venâncio afirmou que há indício de fraude científica no estudo sobre hidroxicloroquina em associação com a azitromicina realizado pela operadora de saúde. O estudo, com mais de 600 pacientes, recebeu aprovação do Conselho de Ética para sua realização em abril de 2020.

Em nota, a Prevent Senior diz que não cometeu fraudes e que "meramente, publicou uma descrição da evolução de casos entre pacientes que haviam usado os medicamentos, comparando-os com aqueles que optaram por não utilizá-los". A operadora afirma ainda que os dados destes pacientes serão avaliados em investigações técnicas, o que comprovará a inexistência de ação fraudulenta. "No depoimento, o próprio Jorge Venâncio diz não haver certeza absoluta sobre o tema, ao comentar as explicações feitas em 2020 à Conep", ressalta a direção.

Já sobre o depoimento da advogada Bruna Morato, que afirmou que os pacientes não sabiam dos riscos do estudo, a empresa diz que ela é "autora de uma tese fantasiosa e será responsabilizada judicialmente por denunciação caluniosa e outros crimes". Segundo a operadora, o depoimento de hoje foi mentiroso e "pródigo em mentiras e narrativas criadas somente depois que a advogada fracassou em tentar um acordo milionário com a empresa".

A Prevent Senior diz ainda que tem total interesse que investigações técnicas, sem contornos políticos, sejam realizadas por autoridades como o Ministério Público. 

Últimas