São Paulo Primeira-dama do PCC é presa na zona leste de São Paulo

Primeira-dama do PCC é presa na zona leste de São Paulo

Thalitta Buzaid estava em uma lanchonete com a filha de cinco anos quando foi achada

  • São Paulo | Do R7, com Agência Record

Primeira-dama PCC foi presa na tarde do último domingo (23)

Primeira-dama PCC foi presa na tarde do último domingo (23)

Reprodução/Record TV

A mulher conhecida como a primeira-dama do PCC (Primeiro Comando da Capital) foi presa na tarde do último domingo (23) pelos policiais do Garra. Ela estava em uma lanchonete que fica em um mercado, localizado no Tatuapé, zona leste de São Paulo. A prisão de Thalitta Buzaid aconteceu após investigação.

Ela estava acompanhada da filha, de cinco anos, e não resistiu à prisão. Thalitta já era procurada desde o mês passado por comandar um tribunal do crime no dia 27 de junho de 2017.

Nesta data, policiais do Deic (Departamento de Investigações Criminais) salvaram da morte a empregada doméstica Ângela Magda da Silva, de 36 anos, durante uma sessão do tribunal do crime na zona leste de São Paulo.

Durante a ação, houve tiroteio e quatro pessoas foram presas. A vítima foi sequestrada na segunda-feira, 26 de junho, acusada de ter furtado R$ 53 mil em cheques. O valor pertenceria a mulher, chefe do tráfico de drogas da região.

Segundo o delegado Carlos Alberto da Cunha, Ângela trabalhava como empregada doméstica da mãe de Thalitta.

A mulher conseguiu fugir durante o tiroteio. Os quatro presos, José Carlos dos Santos, de 52 anos, Gabriel Alves Ferreira, de 19, a vendedora Juliana Silva Santana, de 28, e a autônoma Letícia Pereira de Lima, de 20, foram autuados por organização criminosa, sequestro, porte de arma e resistência.

Durante a ação, os policiais encontraram um cofre contendo R$ 9.300 em dinheiro e um cheque de R$ 400, 12 celulares, além de agendas e anotações com demonstrativos da movimentação do tráfico de drogas na região. O caso é investigado pelo Deic.

Últimas