Processo seletivo interno gera fila de emprego falsa em SP

Segundo sindicato, funcionários divulgaram informação, o que atraiu pessoas de fora da companhia. Seleção, que seria realizada nesta sexta, foi cancelada

Seleção aconteceria nesta sexta (17) e foi cancelada

Seleção aconteceria nesta sexta (17) e foi cancelada

Reprodução/Record TV

Um grupo de pessoas em busca de emprego formou uma enorme fila no Tremembé, zona norte de São Paulo, na manhã desta sexta-feira (17). Os candidatos foram atraídos para um processo seletivo da empresa de ônibus Sambaiba, que havia sido cancelado um dia antes.

Segundo o SPUrbanuss, sindicato das empresas de ônibus, o processo seletivo da empresa era interno, mas funcionários divulgaram a informação, o que atraiu pessoas de fora da companhia.

De acordo com funcionários da Sambaiba, a empresa de ônibus que abriu o processo, o anúncio da vaga foi feito, porém a seleção, que seria realizada na manhã desta sexta-feira (17), foi cancelada.

O SPUrbanuss disse que houve uma confusão na data do processo informada no anúncio da vaga. O processo será reagendado, porém a nova data não foi definida. As vagas que foram anunciadas ainda não foram informadas.

Os funcionários da empresa disseram que o cancelamento foi divulgado na manhã de quinta-feira (16), mas mesmo assim várias pessoas compareceram e formaram uma enorme fila que dobrou o quarteirão da garagem da empresa.

O SPUrbanuss emitiu uma nota oficial sobre o caso:

A empresa Sambaíba Transportes Urbanos, por meio do SPUrbanuss - Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo, esclarece que foi aberto um processo de seleção interna na empresa, para preenchimento de vaga de cobrador. Empregados, no entanto, divulgaram, inadvertidamente, o processo em suas redes sociais, o que levou pessoas de fora da empresa a tentarem se candidatar ao trabalho. Normalmente, as empresas que prestam o serviço de transporte coletivo de passageiros buscam dentro de seus quadros o preenchimento de vagas. É o caso de cobradores que passam a trabalhar como motoristas. Vagas abertas são preenchidas, inicialmente, por pessoas do próprio quadro de pessoal da empresa. Só há seleção externa, quando não há apresentação de candidatos.