Novo Coronavírus

São Paulo Procon de SP registra mais de 8 mil reclamações após pandemia

Procon de SP registra mais de 8 mil reclamações após pandemia

Agências de viagem respondem por 52% das demandas dos consumidores, seguidas pelas companhias aéreas com 30% do total dos registros

Procon de SP registra mais de 8 mil atendimentos após pandemia de covid-19

Procon de SP registra mais de 8 mil atendimentos após pandemia de covid-19

Divulgação/Procon-SP

Mais de 8 mil atendimentos relacionados à covid-19 foram registrados no Procon de São Paulo até esta segunda-feira (30). As agências de viagem respondem por 52% das demandas dos consumidores com 2.116 queixas, já as companhias aéreas correspondem a 30% do total: 1.228 ocorrências.

Leia mais: Procon de SP notifica 400 comércios a apresentar nota fiscal de produtos

Dos 8.239 registros - que se referem a pedidos de orientação de cancelamentos de viagens, eventos e outros contratos, além de denúncia de abusividade de preços e ausência de produtos -, 4.056 são reclamações e 4.183 foram consultas.

Os consumidores também relataram problemas em farmácias, lojas e mercados, que representam 11% das demandas (466 queixas), programas de fidelidade (2%), instituições financeiras (2%), ingressos e eventos (1%) e cruzeiros (1%).

Veja também: Fábrica clandestina de álcool gel tinha 200 mil frascos do produto

Os consumidores, que enfrentam dificuldade para entrar em contato com as empresas, devem procurar os canais de atendimento à distância do Procon. As denúncias podem ser feitas pela internet (www.procon.sp.gov.br), aplicativo ou via redes sociais, marcando @proconsp e indicando o endereço ou site do estabelecimento.

Preço abusivo

O consumidor que se deparar com algum valor abusivo de produto ou serviço relacionado ao coronavírus deve denunciar ao Procon. A diretoria de fiscalização vai solicitar esclarecimento ao fornecedor, que poderá responder a processo administrativo e, caso a infração seja constatada, ser multado.

Leia ainda: SPTrans marca distância nas filas dos terminais para evitar contágio

A sugestão do órgão é a conversão do serviço em crédito para ser usufruído em momento posterior, sem a imposição de qualquer cobrança de taxa, multa ou outra forma de penalização. Os serviços que puderem ser prestados à distância não precisam ser interrompidos.

Últimas