Procurador tenta matar juíza no Tribunal Regional Federal em SP

Matheus Carneiro Assunção foi preso após invadir gabinete e golper com uma faca Louise Filgueiras, que ficou ferida. Ele disse que 'queria fazer protesto'

Procurador invadiu gabinete da juíza no Tribunal Regional Federal, em SP

Procurador invadiu gabinete da juíza no Tribunal Regional Federal, em SP

Estadão Conteúdo

O procurador da Fazenda Nacional Matheus Carneiro Assunção foi preso nesta quinta (3), após tentar matar a juíza federal Louise Vilela Leite Filgueiras, no Tribunal Regional Federal da 3ª Região. A juíza sofreu ferimentos leves e passa bem. O procurador foi preso em flagrante.

Por volta das 16hs, o homem teria invadido o gabinete da juíza e aparentava estar perturbado. Ele foi até a mesa da juíza e tentou golpea-lá no pescoço. Na sequência, ele teria pego um objeto de vidro e jogado na magistrada.

Juíza Louise Filgueiras

Juíza Louise Filgueiras

Reprodução/TRF3

O procurador estava substituindo um outro jurista que está em férias. Ao ser contido por pessoas que estavam na sala da juíza, ele parecia estar em surto e falava frases sem sentido sobre "acabar com a corrupção no Brasil". 

Entretanto, como o ataque ocorreu em um Tribunal Federal, o caso foi registrado na Delegacia da Polícia Federal, que deve conduzir as investigações sobre o caso.

Por meio de nota a AGU (Advocacia Geral da União) informou que "determinou a imediata abertura de sindicância investigativa no âmbito da instituição" e que "lamenta o ocorrido, fará todos os esforços para apurar o ocorrido, se coloca à disposição da vítima e repudia todo e qualquer ato de violência".

Nota Advocacia-Geral da União

Referente à prisão de um procurador da Fazenda Nacional acusado de tentativa de homicídio de uma magistrada, o advogado-geral da União determinou a imediata abertura de sindicância investigativa no âmbito da instituição. Preliminarmente a AGU foi informada que a tentativa de homicídio ocorreu na sede do Tribunal Regional Federal da 3ª Região.  A Advogado-geral da União lamenta o ocorrido, fará todos os esforços para apurar o ocorrido, se coloca à disposição da vítima e repudia todo e qualquer ato de violência.

Nota Ajufe e Ajufesp

A Ajufe e Ajufesp vêm a público manifestar sua indignação em face do covarde ataque sofrido pela Juíza Federal Louise Filgueiras, nas dependências do Tribunal Regional Federal da 3a Região. A ousadia e a violência do ataque, desferido pelo Procurador da Fazenda Nacional Matheus Carneiro Assunção, trazem à tona grandes preocupações e questões relevantes.

A falta de segurança que acomete o ofício dos Magistrados é crônica. Não se justifica, em nenhuma hipótese, colocar vidas em risco por motivo de restrições orçamentárias. A segurança, a ser garantida por profissionais devidamente treinados, é essencial para o exercício do ofício judicante. A Magistratura carece de um mínimo de tranquilidade para trabalhar em paz. O momento político em que vivemos, por sua vez, com a interdição do diálogo e a polarização ideológica, contribuem para o acirramento dos ânimos e para o desrespeito crescente às instituições. O Poder Judiciário tem sido objeto de ataques vis, que maculam a sua independência e botam em xeque a sua autoridade. Essa quebra de institucionalidade pode causar consequências nefastas para toda a sociedade, autorizando manifestações de ódio que podem resultar em violência de toda ordem. Manifestamos nossa irrestrita solidariedade à colega e pedimos a apuração rigorosa dos fatos. A Magistratura Federal exige respeito e segurança para exercer com a necessária independência o seu mister constitucional.

*Com informações da Agência Record