São Paulo Professor de kung fu é acusado de assédio por alunas em São Paulo

Professor de kung fu é acusado de assédio por alunas em São Paulo

Mensagens em grupo de whatsapp formado por alunas descrevem os abusos praticados pelo professor. Ao menos, dez alunas relataram os crimes

Dez alunas acusam professor de assédio em academia

Dez alunas acusam professor de assédio em academia

Reprodução Record TV

Dez alunas acusam um professor de kung fu de assédio durante as aulas de artes marciais em uma academia da zona leste de São Paulo. As informações são da Record TV. As vítimas, sendo uma delas menor de idade, formaram um grupo de de mensagens para compartilhar os abusos. 

Leia também: Estudo revela que 97% das mulheres sofreram assédio em transporte

Uma arquiteta de 29 anos, que registrou boletim de ocorrência no 30º DP (Tatuapé) na segunda-feira (17), afirma que foi apalpada diversas vezes pelo professor durante as aulas.

Segundo as informações do boletim, a aluna começou a notar algo estranho no comportamento do lutador há cerca de dois anos. Ao mudar de faixa e intensificar os treinamentos de tatame (golpes no chão), a arquiteta percebeu que o professor aproveitava para passar a mãe em suas nádegas.

Ela ainda explica que na época ficou confusa e não conseguia perceber se o abuso era intencional. No entanto, no dia de 15 de maio, durante um exercício de alongamento o lutador teria acariciado a vagina e os seios da jovem.