Novo Coronavírus

São Paulo Profissionais de saúde ganharão 200 mil viagens de aplicativo em SP

Profissionais de saúde ganharão 200 mil viagens de aplicativo em SP

Em parceria com o Itaú, Uber vai disponibilizar viagens para funcionários municipais que estejam indo à centros hospitalares na capital paulista

  • São Paulo | Do R7

Profissionais terão até três viagens por dia para centros de saúde em São Paulo

Profissionais terão até três viagens por dia para centros de saúde em São Paulo

Amanda Perobelli/Reuters

A partir dessa sexta-feira (15), profissionais de saúde municipais terão acesso a 200 mil viagens gratuitas do aplicativo Uber de transporte para locomoção ao trabalho.  A iniciativa será realizada por meio de um aparceria entre a empresa e o Itaú.

Leia mais: Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

Serão ofertadas até três viagens gratuitas por dia aos funcionários públicos da área que tenham como destino um dos centros de saúde de São Paulo. Para ter acesso ao benefício, os interessados devem estar cadastrados na plataforma da Uber. A medida valerá até que os 200 mil vouchers sejam esgotados. 

O rodízio ampliado de veículos determinado pela Prefeitura de São Paulo não é válido para os profissionais de saúde, que devem se cadastrar na Secretaria de Mobilidade e Transportes em um prazo de dez dias contados, a partir da última segunda-feira (11), data da implantação da medida.

Também estão fora da restrição carros particulares de agentes da segurança pública, fiscais da fazenda, profissionais da imprensa, trabalhadores do serviço funerário e da assistência social. A liberação será feita mediante um cadastro feito pela empresa na Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, com informações do trabalhador e do veículo.

O autônomo poderá fazer o próprio cadastro, com comprovação do exercício da atividade, pelo Portal 156,. O profissional deve clicar em “Trânsito e Transporte” e, em seguida, em "Rodizio de Veiculos (coronavírus) - Cadastrar veículos para isenção durante a pandemia”.

Últimas