São Paulo Protesto contra aumento de passagem em SP ganha repercussão internacional

Protesto contra aumento de passagem em SP ganha repercussão internacional

Terceiro ato organizado pelo Movimento Passe Livre terminou com prisões e destruição

Protesto contra aumento de passagem em SP ganha repercussão internacional

Jornal El País destacou protestos contra aumento da tarifa dos transportes no Brasil

Jornal El País destacou protestos contra aumento da tarifa dos transportes no Brasil

Reprodução/El País

O terceiro ato organizado pelo Movimento Passe Livre contra o aumento da tarifa de ônibus em São Paulo, ocorrido na última terça-feira (11), teve repercussão internacional. Em matéria publicada nesta quarta-feira (12), o jornal espanhol El País destacou o protesto realizado na capital paulista e a manifestação ocorrida no Rio de Janeiro na última segunda-feira (10): "Brasil se levanta en protesta contra el aumento de los precios del transporte".

Já a CNN, rede de notícias norte-americana, publicou que  manifestantes e policiais entraram em confronto nas ruas da maior cidade do Brasil por conta do aumento das tarifas. A emissora informou que essa foi a terceira vez que jovens tomaram as ruas e que a manifestação foi a mais violenta até agora. A CNN destacou ainda que o protesto foi liderado por um grupo que defende a tarifa gratuita ou mais barata.

Em São Paulo, o protesto da noite de terça-feira terminou com 20 pessoas detidas. Na manhã desta quarta-feira, 13 ainda permaneciam presas — sendo que dez pessoas foram autuadas em flagrante por formação de quadrilha, incêndio e dano qualificado ao patrimônio. 

Além disso, diversos confrontos marcaram o ato. Os manifestantes iniciaram o protesto na região da avenida Paulista com a rua da Consolação e depois caminharam até o centro de São Paulo. Eles entraram em confronto com a Polícia Militar na entrada do terminal Parque D. Pedro 2º, no centro de São Paulo. Um grupo teria tentado — sem sucesso — atear fogo em um ônibus, obrigando passageiros a deixarem o coletivo desesperados. A Tropa de Choque jogou bombas de efeito moral e agrediu manifestantes.

Leia mais notícias de São Paulo

Avenida Paulista amanhece depredada após manifestação

Um repórter do portal R7  também foi agredido por um policial militar. Apesar de estar identificado por um crachá, o jornalista Fernando Mellis levou um golpe de cassetete nas costas. 

CNN destacou que manifestantes e policiais entraram em confronto nas ruas de SP por causa do aumento das passagens

CNN destacou que manifestantes e policiais entraram em confronto nas ruas de SP por causa do aumento das passagens

Reprodução/CNN

Policiais do BPTran (Batalhão de Trânsito) de São Paulo que acompanharam a manifestação do MPL (Movimento Passe Livre) estimaram um público entre 10 mil e 12 mil manifestantes. Segundo a organização do Movimento Passe Livre, o número chegou a 15 mil.

Próximo ato

O Movimento Passe Livre promete fazer a quarta manifestação em São Paulo contra o aumento de passagens na próxima quinta-feira (13). Desta vez, a concentração será na frente do Teatro Municipal de São Paulo, às 17h, na capital paulista. O grupo já fechou a Radial Leste, Consolação, 23 de Maio, 9 de Julho, Paulista, Rebouças, Faria Lima e marginal Pinheiros em protestos anteriores.

    Access log