Protesto contra João Doria pede fim de 'quarentena' em São Paulo 

Grupo de manifestantes criticou a prorrogação das medidas de isolamento social no estado, nesta sábado (18), em carreata pelas ruas da capital paulista 

Protesto critica ampliação de 'quarentena' no estado de São Paulo

Protesto critica ampliação de 'quarentena' no estado de São Paulo

BRUNO ROCHA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Um grupo de manifestantes fez uma carreata, neste sábado (18), em São Paulo, contra o decreto do governador João Doria que estabeleceu a 'quarentena' como medida de combate à pandemia de covid-19 — doença causada pelo novo coronavírus. De acordo com a Polícia Militar, o ato foi pacífico. 

Os participantes, que pediram o fim da prorrogação das ações de isolamento social até o dia 10 de maio, acreditam que elas estariam prejudicando a economia do Brasil, já que São Paulo é responsável por 10,6% do PIB (Produto Interno Bruto) do país. 

Manifestantes pediram a retomada de atividades 'não essenciais'

Manifestantes pediram a retomada de atividades 'não essenciais'

Arquivo Pessoal

A concentração começou por volta das 12h, em frente à Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo), em Moema, na capital paulista. Na sequência, o grupo seguiu para a Marginal Pinheiros, próximo à avenida Jornalista Roberto Marinho, e o encerramento estava previsto para acontecer na Avenida Paulista agora no fim da tarde. 

'Quarentena' em SP

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou na sexta-feira (17) a prorrogação da quarentena no estado até o dia 10 de maio, como medida de contenção contra o avanço do coronavírus. O término do isolamento estava previsto para o dia 22 de abril, próxima quarta-feira.

As medidas começaram em todos os 645 municípios paulistas em 24 de março, na tentativa de reduzir a transmissão do novo coronavírus.

Em entrevista coletiva, no Palácio dos Bandeirantes, João Doria justificou a decisão como forma de "evitar o colapso" dos sistemas de saúde público e privado.