Novo Coronavírus

São Paulo 'Que ele siga as recomendações da medicina', diz Doria sobre Bolsonaro

'Que ele siga as recomendações da medicina', diz Doria sobre Bolsonaro

Apesar de desentendimentos, mensagem foi publicada nas redes sociais. Governador de SP desejou que "em breve ele esteja restabelecido"

Agência Estado
'Que ele siga as recomendações da medicina', diz Doria sobre Bolsonaro

'Que ele siga as recomendações da medicina', diz Doria sobre Bolsonaro

Governo do Estado de São Paulo - 03.07.2020

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), publicou uma mensagem em sua conta no Twitter em que deseja "pronta recuperação" ao presidente Jair Bolsonaro e pede "que ele siga as orientações da medicina" para que "em breve, seja restabelecido". A mensagem foi publicada pouco após Bolsonaro chamar alguns veículos de imprensa para informar que havia recebido diagnóstico positivo para a covid-19.

Desde o início da crise, governador e presidente trocaram diversas farpas sobre a condução da pandemia. Doria vinha cobrando que o presidente agisse seguindo recomendações dos cientistas para o controle da pandemia e Bolsonaro vinha criticando o isolamento social defendido pelo governador paulista. Ainda em março, eles tiveram uma discussão pública, via teleconferência, quando houve uma reunião para discutir a pandemia.

Leia mais: Ministro Rogério Marinho tem resultado negativo para covid-19

Os gestores do Centro de Contingência da Coronavírus em São Paulo também comentaram a confirmação do teste do presidente, durante entrevista coletiva realizada nesta tarde, no Palácio dos Bandeirantes, para o balanço diário da evolução da doença. "Que possa o mais rápido possível se recuperar e voltar a exercer as suas atividades novamente", disse o médico João Gabbardo, que era da equipe do ex-ministro da Saúde Luiz Mandetta, que deixou o cargo após atritos com o presidente.

Veja também: Bolsonaro cancela agenda e viagens após dizer que está com covid-19

Já o coordenador do Centro de Contingências, o epidemiologista Paulo Menezes, comentou a nova defesa à cloroquina feita pelo presidente. "Nós colocamos diversas vezes que não há evidências de efetividade do uso da cloroquina, especialmente em casos de covid-19 mais leves. No entanto, a Secretaria de Saúde e o Estado de São Paulo têm se posicionado de que é possível a prescrição da cloroquina a critério do médico e do paciente. Pode ser uma escolha essa prescrição e nós mantemos essa posição", disse.

Últimas