Região metropolitana de São Paulo terá cinco divisões na retomada

Decisão é tomada em acordo com prefeitos, que criticaram divisão do Plano SP apresentada na quarta-feira (26), que vale a partir de segunda (1)

Desinfecção em Osasco, na Grande SP

Desinfecção em Osasco, na Grande SP

ALOISIO MAURICIO FOTOARENA ESTADÃO CONTEÚDO - 26.05.2020

A região metropolitana de São Paulo será dividida em cinco microrregiões para o planejamento da retomada econômica que ocorre a partir de segunda-feira (1), anunciou o governador João Doria nesta sexta-feira (29). 

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

Anunciado na quarta-feira (27), o chamado Plano São Paulo, que prevê uma reabertura gradual das atividades, de forma regionalizada, gerou protestos de prefeitos da região, formada por 38 cidades, mais a capital, e soma 22 milhões de habitantes. "Com essa divisão será possível ter uma análise ainda mais precisa de critérios técnicos de saúde, classificação de fase e definição de fase apropriada", afirmou Doria.

Regiões previstas no Plano SP. Região metropolitana terá subdivisão

Regiões previstas no Plano SP. Região metropolitana terá subdivisão

Arte/R7

Leia também:'Se é para ouvir a ciência, não libera ninguém', diz Orlando Morando

As microrregiões definidas em parceria com as prefeituras de 38 municípios são:

- Norte/Franco da Rocha: Caieiras, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha, Mairiporã;

- Leste/Alto Tietê-Guarulhos: Arujá, Biritiba-Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel, Suzano;

- Sudeste/Grande ABC: Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul;

- Sudoeeste/Mananciais: Cotia, Embu, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista;

- Oeste/Rota dos Bandeirantes: Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Santana de Parnaíba.

Mesmo com a nova divisão, a região metropolitana segue na fase ,1 definidida inicialmente pelo Plano São Paulo, conforme afirmou o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. 

Subdivisão da região metropolitana

Subdivisão da região metropolitana

Reprodução / Governo de SP

"Existe a necessidade de um aumento da capacidade hospitalar dessa região. Não existe nenhuma alteração drástica de fase. Esses índices são técnicos que não indicam boa ou má gestão, mas o trabalho que deve ser feito para avançar para a próxima fase. O caminho e as métricas estão dados”, afirmou o secretário.

Leia também: SP: Entenda como será a quarentena com flexibilização progressiva

“A previsão se der errado, está no plano. O plano tem regras claras. A sociedade tem que nos ajudar a ter uma convivência inteligente com a pandemia, por isso essa divisão na região metropolitana", afirmou o vice-governador Rodrigo Garcia.

Fases da retomada em SP

Fases da retomada em SP

Arte R7

Fases

O plano do governo prevê a divisão do estaado em regiões que são classificadas em 5 fases distintas. 

A fase 1 é de alerta máximo e os municípios submetidos a essa classificação estão em fase de contaminação, com liberação apenas para serviços essenciais. A fase 2 é de atenção, com eventuais liberações. Nesta etapa, podem ser reabertos, porém com restrições, escritórios, concessionárias, atividades imobiliárias, shopping centers e comércio. A cidade de São Paulo está nesta fase.

A fase 3 é considerada de flexibilização. Uma etapa controlada e com maior liberação das atividades. Nela, podem operar, sem restrições, atividades imobiliárias, concessionárias e escritórios. Podem operar com restriçõs bares, restaurantes e similares, comércio, shopping centers e salões de beleza. A fase 4 se difere da 3 em apenas um aspecto: a abertura, com restrições, de academias.

Na fase 5, todas as atividades são retomadas sem restrições. Apenas neste estágio podem ser reabertos teatros, cinemas e espaços públicos. Também apenas na fase 5 podem ser promovidos eventos que provoquem aglomeração, como os esportivos.

Orçamento

Na coletiva, o governador anunciou a criação da secretaria de Orçamento, Gestão e Projetos, assumida por Mauro Ricardo, com objetivo de reforçar o controle estadual de gastos.