Novo Coronavírus

São Paulo São Paulo cria drive thru solidário para doações de cestas básicas

São Paulo cria drive thru solidário para doações de cestas básicas

Beneficiários do programa serão idosos, pessoas com doenças pré-existentes, famílias com vulnerabilidade em favelas, cortiços e pessoas em risco

  • São Paulo | Fabíola Perez e Joyce Ribeiro, do R7

Prefeito Bruno Covas anuncia criação de programa de doações para comunidades

Prefeito Bruno Covas anuncia criação de programa de doações para comunidades

Reprodução / Prefeitura de SP

O prefeito Bruno Covas anunciou nesta terça-feira (7), por meio de uma coletiva de imprensa virtual, a criação de um programa de ações solidárias entre administração municipal e sociedade civil para atender as necessidades de comunidades e pessoas mais vulneráveis de São Paulo. Covas, porém, não detalhou o número de beneficiários do programa. 

Leia mais: São Paulo estende medidas de afastamento social até 22 de abril

O secretário de desenvolvimento urbano, Fernando Chucre, explicou que serão doadas cestas básicas por meio de um drive thru solidário. "As ações serão realizadas por meio de um cruzamento de cadastros de famílias com maior vulnerabilidade. Faremos a distribuição na ponta dessas comunidades."

Segundo o secretário, os beneficiários do programa serão idosos, pessoas com doenças pré-existentes ou deficiência, famílias com vulnerabilidade social, que moram em favelas, cortiços e ocupações, além de pessoas em risco nesses espaços, para complementação de renda. Entre abril e julho, serão atendidas famílias em situação de extrema vulnerabilidade enquadradas no grupo prioritário do Programa Saúde da Família.

Veja também: Frota de ônibus em São Paulo é ampliada com mais 312 coletivos

Na primeira etapa do programa, a população poderá doar cestas de alimentos e de higiene e limpeza que devem ser entregues em oito pontos de coleta. Doações em grande quantidades de itens que compõe as cestas também poderão ser realizadas, em canal direto com a coordenação do programa.

Chucre disse ainda que a prefeitura montou uma rede de logística para dar suporte à distribuição dos itens doados. "Uma estrutura de coleta e transporte foi montada com dois centros (higiene e limpeza e divisão de itens). A governança será compartilhada com lideranças nas comunidades", afirmou.

"É um programa que visa estimular a participação da sociedade civil nessa articulação. Serão três meses de doações", afirmou. O secretário afirmou que a plataforma de 156 começou a funcionar para captação de doações.

Leia ainda: Hospital do Pacaembu (SP) começa a receber pacientes com covid-19

Bruno Covas afirmou também que a preocupação da administração municipal não é apenas com a saúde e com o número de leitos para pacientes infectados pelo coronavírus. "Estamos esperando o ápice da crise, mas ela traz também a preocupação econômica e social. É preciso ter uma preocupação com as pessoas mais vulneráveis."

Covas lembrou que uma das ações realizadas foi a criação de cartão com o auxílio para merenda de estudantes de baixa renda e destacou a doação de 100 mil cestas básicas. "Vamos atingir um número muito maior com as parcerias para atender todas as comunidades carentes", disse o prefeito durante a coletiva de imprensa virtual. Ele ressaltou ainda que é preciso atentar "para que não haja sobreposição de benefícios enquanto outros não recebem nada". 

Luta contra o câncer

Questionado sobre como está administrando o tratamento contra o câncer juntamente ao enfrentamento da pandemia, Bruno Covas disse que segue as recomendações médicas. "Tenho conseguido encontrar forças para estar a frente dessas duas batalhas. Não posso me ausentar no momento em que a cidade de São Paulo é o centro dessa pandemia no país”, diz Covas. “Mas estou fazendo tudo de acordo com as recomendações dos meus médicos. Meu sistema imunológico está funcionando bem.”

O prefeito afirmou que fará a terceira sessão de imunoterapia nesta quarta-feira (8) em continuidade ao tratamento contra o câncer na cárdia, que fica entre o estômago e esôfago, e das metástases no fígado e linfonodos.

Outras ações

Para atender moradores de rua durante a pandemia, sete novos abrigos emergenciais para acolhimento foram criados pela prefeitura. Seis deles ficam em centros esportivos municipais que foram adaptados para funcionar 24 horas.

O hospital de campanha do Pacaembu já está em funcionamento. Segundo o prefeito, estão na lista 70 pacientes que serão encaminhados pela rede de saúde pública, o que representa 35% de ocupação dos 200 leitos existentes no espaço, que foi montado no estádio, na zona oeste da capital.

Veja também: Adesão a isolamento na cidade de São Paulo cai de 66% para 52%

Perguntado sobre a isenção do IPTU, Covas afirmou que não fará isso: "Não vou isentar nem prorrogar o pagamento das parcelas do imposto porque a medida só beneficiaria a população mais rica, as classes A e B, e a prefeitura não teria dinheiro para construir os hospitais de campanha". 

O prefeito também voltou a destacar a importância do respeito à quarentena: "É um ato humanitário ficar em casa. Estamos com a GCM, PM e fiscais nas ruas. Mais do que efetivo, é a conscientização das pessoas em cumprir as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde)".

Onde doar

1) Biblioteca Mário ie Aniraie / Rua da Consolação, 94 - República
2) Centro Cultural São Paulo / Viaduto Beneficência Portuguesa - Paraíso
Acesso de veículos ao Centro Cultural São Paulo
3) Teatro Arthur Azeveio / Avenida Paes de Barros, 955 - Mooca
4) Centro Cultural ia Diversiiaie / Rua Lopes Neto, 206 - Itaim Bibi
5) Tenial ia Lapa / Rua Constança, 72 - Lapa
6) Casa ie Cultura Vila Guilherme / Praça Oscár da Silva, 110 - Vila Guilherme
7) Casa ie Cultura io Butantã / Avenida Junta Mizumoto, 13 - Jardim Peri
8) Centro Cultural Santo Amaro / Avenida João Dias, 822 - Santo Amaro

O horário de funcionamento dos pontos de coleta do drive thru é das 10h às 17h.

Últimas