São Paulo São Paulo cria grupos de trabalho para tratar de Réveillon e Carnaval

São Paulo cria grupos de trabalho para tratar de Réveillon e Carnaval

Prefeitura estuda fazer os dois eventos em 2022 com a presença de público, com ao menos 70% da população já vacinada

Prefeitura de SP cria grupos de trabalho para tratar de Réveillon e Carnaval 2022

Prefeitura de SP cria grupos de trabalho para tratar de Réveillon e Carnaval 2022

Divulgação / SPTuris

A Prefeitura de São Paulo montou dois grupos de trabalho para tratar sobre o Réveillon e o Carnaval, com presença de público, na cidade. Segundo o prefeito Ricardo Nunes (MDB), o assunto foi debatido em reunião ocorrida nesta quinta-feira (1º) entre diversas secretarias municipais.

“[Na reunião] saiu um grupo que vai organizar a questão do Réveillon com as normas de organização, sempre com a [Secretaria de] Saúde junto. O responsável desse grupo será o secretário-executivo do estado. Um outro grupo que vai cuidar do carnaval de rua. Carnaval a gente vai tratar de duas formas: carnaval de rua e carnaval do Sambódromo”, disse o prefeito após entrega do Plano de Metas para a Câmara Municipal.

O grupo responsável pelo carnaval de rua será coordenado pelo secretário Alexandre Modonezi, da Secretaria Municipal das Subprefeituras. “O carnaval de rua, pelo tamanho que a gente espera que seja, deve ser o maior carnaval da história”, disse Nunes.

Reabertura

O prefeito disse ainda que há um grupo de trabalho mais amplo para tratar das ações de reabertura de atividades na capital quando o percentual de vacinados chegar em 70%. “Chegando o número de vacinados na cidade de São Paulo em 70%, hoje nós estamos em 56%, nós vamos começar a fazer um processo de reabertura dos nossos espaços públicos – Anhangabaú, Paulista e por aí adiante”, disse.

Segundo Nunes, o grupo que vai cuidar do Réveillon e do Carnaval vai interagir com esse grupo de trabalho mais amplo, que vai coordenar as ações de reabertura das atividades. “[As ações de reabertura] nós chamamos de retomada econômica, que é muito importante para a cidade poder voltar a gerar emprego, renda e dar dignidade às pessoas”, disse.

Últimas