São Paulo São Paulo dá crédito para compra de uniforme e material escolar

São Paulo dá crédito para compra de uniforme e material escolar

Estudantes receberão benefícios e poderão comprar os produtos em comércios credenciados. Iniciativa visa fomentar o comércio local

  • São Paulo | Karla Dunder, do R7

Prefeito Bruno Covas durante coletiva

Prefeito Bruno Covas durante coletiva

Governo do Estado de São Paulo - 28.10.2020

O prefeito Bruno Covas (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (16) que famílias de São Paulo receberão a partir de janeiro crédito para compra de uniforme e material escolar. A prefeitura deve investir R$ 373 milhões e deve atender mais 1 milhão de estudantes.

"A proposta é que os recursos sejam utilizados pelas famílias e deverá aquecer o comércio próximo das escolas neste momento de pandemia," afirmou Covas.

Prefeitura de SP abre cadastro para pais pedirem uniforme escolar

As famílias receberão benefícios aos estudantes a partir do dia 18 de janeiro até o dia 31 de julho. O crédito estará disponível por meio de aplicativo e os uniformes e materiais poderão ser adquiridos em estabelecimentos comerciais credenciados pela prefeitura. Cada aluno receberá R$ 387,10 para a compra de uniforme.

Todas as informações sobre o valores e aplicativo serão disponibilizadas no site da Secretaria de Educação.

Do mesmo modo, os kits de material escolar serão distribuídos aos estudantes, o valor varia de R$ 33 e pode chegar a R$ 172 de acordo com a série do aluno.

Após queixas, Prefeitura quer mudar uniformes das escolas em SP

O secretário da Educação, Bruno Caetano, destacou que a centralização da aquisição de uniforme e de material "gerava atraso nas entregas e, diante da lei de licitação, muitas vezes a qualidade era baixa". O Secretaria também destacou as dificuldades com relação aos tamanhos e o baixo uso dessas roupas pelos estudantes.

Prefeitura dará cartão com R$ 215 para compra de uniforme escolar

"Diante desse quadro a prefeitura decidiu mudar a distribuição do material e do uniforme", destacou Caetano. "Além de melhorar a autoestima dos estudantes, que poderão escolher o material, também fomenta o comércio local." Os estabelecimentos comerciais interessados poderão se credenciar via internet.

Segundo o secretário, serão realizados testes para avaliar a qualidade do material e uniforme oferecidos. "As famílias também poderão escolher o produto em diferentes comércios e essa será a melhor avaliação."

Aline Cardoso, secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, destaca que a ação favorecerá os empreendedores locais. "É uma iniciativa que deve gerar renda no comércio e de movimentar a economia principalmente nas periferias."

A secretária também informou que esses empreendedores receberão treinamento e capacitação para participar dessa ação.

Volta às aulas

No dia 4 de fevereiro as aulas devem ser retomadas, no entanto, ainda não há informações se serão presenciais ou remotas. Segundo Bruno Caetano, a Secretaria aguarda as orientações da área de saúde para saber se é possível a volta ser presencial.

Com relação a compra de tablets, o secretario informou que os estudantes que tiveram dificuldade de acesso à internet receberão primeiro. A expectativa é de que até fevereiro todos recebam os aparelhos.

Últimas