São Paulo está lutando para proteger vidas, diz João Doria 

Afirmação do governador de SP foi feita após o presidente Jair Bolsonaro convocar o empresariado contra um possível lockdown no estado

"São Paulo está lutando para proteger vidas", diz Doria

"São Paulo está lutando para proteger vidas", diz Doria

Reprodução / Arquivo Pessoal

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), rebateu as críticas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira (14) durante uma videoconferência promovida pela Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo). “Hoje, mais uma vez, o presidente da República perde a chance de defender a saúde e a vida dos brasileiros. São Paulo está lutando para proteger vidas", afirmou Doria.

No encontro virtual, Bolsonaro convocou o empresariado a "jogar pesado" com Doria para evitar um possível lockdown no Estado, como forma de combater o novo coronavírus. O presidente criticou a possibilidade de implantação de medidas extremas de fechamento do comércio e serviços não essenciais no estado.

"Um homem está decidindo o futuro de São Paulo, o futuro da economia do Brasil. Os senhores, com todo o respeito, tem que chamar o governador e jogar pesado, porque a questão é séria, é guerra. É o Brasil que está em jogo, se continuar o empobrecimento da população, daqui a pouco, seremos iguais na miséria", afirmou.

Leia mais: Bolsonaro diz que vai faltar dinheiro para pagar servidores públicos

Para o presidente, há uma tentativa de atingir o seu governo pela economia. "Parece que está acontecendo uma questão política, tentando quebrar a economia para atingir o governo", comentou.

Já Doria ressaltou, em nota, que "o presidente despreza vidas". E completou: "Prefere fazer comícios, andar de jet ski, treinar tiros e fazer churrasco. Enquanto isso, milhares de brasileiros estão morrendo todos os dias".

Veja também: Ninguém morreu de covid-19 por falta de UTI em SP, diz governo

O comunicado do governador paulista termina com as frases: "Acorde para a realidade presidente Bolsonaro. Saia da bolha de ódio e comece a ser um líder se for capaz”.

O Estado de São Paulo é o epicentro da pandemia e tem 54.296 casos confirmados de covid-19 e 4.315 mortes pela doença.