grevecaminhoes

São Paulo opera com 59% da frota de ônibus

Prefeitura de São Paulo autorizou redução da quantidade de ônibus em circulação por causa da falta de combustíveis gerada pela greve

Ônibus em SP

Prefeitura autorizou redução da circulação

Prefeitura autorizou redução da circulação

Denny Cesare/Codigo19/Folhapress - 23.05.2018

A SPTrans (São Paulo Transporte) informou que apenas 59% da frota de ônibus de São Paulo está operando na manhã desta sexta-feira (25). 

O desabastecimento de combustíveis, causado pela greve dos caminhoneiros, fez com que a Prefeitura de São Paulo autorizasse a redução da circulação de ônibus na cidade. 

Em nota divulgada pela Prefeitura na noite de quinta-feira (24), o órgão diz estar "empenhado em minimizar os transtornos causados pela greve e recomenda à população que evite deslocamentos desnecessários nesta sexta-feira". 

Segundo a nota, o intervalo de circulação entre os ônibus noturnos aumentou a partir da 0h desta sexta. As linhas com intervalos de 15 minutos passaram para 30, enquanto as de 30 passaram para 60 minutos. 

Por causa da redução das linhas, o rodízio municipal está suspenso durante todo o dia. Normalmente, os carros com placa final 9 e 0 não podem circular na cidade às sextas-feiras entre as 7h e as 10h e entre as 17h e as 20h. 

Metrô e CPTM funcionam normalmente. "Em negociação mantida pela administração municipal com a Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos, ficou acertado que, à diferença do que ocorre normalmente, a CPTM e o Metrô vão manter 100% de suas frotas em operação no período de entrepico para compensar a ausência de parte dos ônibus", diz em nota. 

A greve dos caminhoneiros começou na segunda-feira (21). Os caminhoneiros protestam pela redução do preço do óleo diesel em todo país. O governo tenta negociar com os manifestantes para que a greve seja suspensa, mas os caminhoneiros continuam nas ruas nesta sexta-feira, pelo quinto dia consecutivo