São Paulo São Paulo prorroga o prazo da consulta pública sobre o Wi-Fi Livre

São Paulo prorroga o prazo da consulta pública sobre o Wi-Fi Livre

Objetivo é instalar 10 mil novos pontos na capital. Contribuições devem ser enviadas por e-mail até 2 de setembro

Edital prevê instalar 10 mil novos pontos de wi-fi

Edital prevê instalar 10 mil novos pontos de wi-fi

Divulgação / Prefeitura de SP

A SMIT (Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia) prorrogou por mais 15 dias a consulta pública sobre o edital de credenciamento do programa WiFi Livre SP. Ela estava prevista para terminar na última quarta-feira (18), mas vai continuar disponível até 2 de setembro. O edital prevê a instalação de 10 mil novos pontos de wi-fi na cidade.

A consulta, segundo a prefeitura, tem a finalidade de avaliar se o modelo adotado para a operação está alinhado às melhores práticas do mercado e às necessidades da cidade. As sugestões da sociedade civil e de empresas interessadas no credenciamento podem ser encaminhadas no e-mail consultawifi@prefeitura.sp.gov.br. Todos os documentos estão disponíveis no site da SMIT, na seção de Participação Social.

O modelo é o do credenciamento, já utilizado na expansão do programa, mas com mudanças em algumas contrapartidas para as empresas interessadas. São listados requisitos técnicos para prestação do serviço e manutenção de qualidade, novo modelo de propaganda e segurança de dados, além de novas localidades e dinâmicas de distribuição dos pontos.

O WiFi Livre SP leva internet gratuita às regiões da cidade. Segundo a prefeitura, o programa, não oneroso ao poder público, saiu de 120 pontos para 1.088, e tem como meta atingir 20 mil pontos de acesso até 2024.

"A expansão do Wifi Livre SP é decisiva para assegurar o acesso à internet como direito fundamental do cidadão paulistano, além de dinamizar polos de economia criativa pela cidade e promover a inclusão digital, que é a nova fronteira da inclusão social", afirmou o secretário municipal de Inovação e Tecnologia, Juan Quirós.

Últimas