São Paulo São Paulo terá 400 novas escolas em programa de ensino integral

São Paulo terá 400 novas escolas em programa de ensino integral

Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, onde ocorreu o massacre que deixou 7 estudantes mortos e 11 feridos, também terá ensino integral

  • São Paulo | Do R7

Rossieli Soares, secretário de Educação de São Paulo

Rossieli Soares, secretário de Educação de São Paulo

Divulgação/Governo de SP

O governador de São Paulo João Doria anunciou nesta quinta-feira (5) a adesão de 400 novas escolas ao Programa Ensino Integral do Governo de São Paulo. As novas escolas começarão a funcionar a partir de fevereiro do ano que vem em tempo integral. Com isso, segundo o governo, o número deverá saltar de 364 para chegar a 1.064 em fevereiro, representando um crescimento de 300%. "O ensino em tempo integral chegara a 500 mil alunos em São Paulo" afirmou Doria.

Leia mais: Eleições: cidades seguras, um desafio também para prefeitos

"São 400 novas escolas que vão começar a funcionar a partir de fevereiro de 2021 em tempo integral. Com este aumento de 300% no número de escolas, o ensino em tempo integral vai chegar a mais de 500 mil alunos. É o maior número de alunos em ensino integral em um estado no Brasil. E vamos seguir dentro do objetivo de ter mais escolas e mais alunos em tempo integral no estado de São Paulo", disse Doria.

As novas escolas manifestaram interesse em aderir ao programa e obedecem aos critérios estabelecidos pela Secretaria da Educação, como ter mais de 12 salas de aulas e atender a uma comunidade com maior vulnerabilidade socioeconômica.

"Nossa meta de mil escolas para 2023 já foi alcançada com a adesão destas 400 novas unidades", afirmou Rossieli Soares.

Segundo o governo, as novas 400 escolas estarão em funcionamento no próximo ano letivo de 2021. Elas vão ofertar 254 mil novas vagas para alunos dos anos finais do ensino fundamental e ensino médio. No total, as 1.064 escolas do programa terão 542 mil vagas em todo o estado de São Paulo, o que corresponde a 15% da rede. Em 2019, fazia parte do programa 4% da rede, com 135 mil alunos.

O programa abrange 48% dos municípios do estado. Com esta expansão, mais 82 cidades terão programas de ensino integral. Entre as novas escolas que vão aderir à iniciativa estão a Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, e a Escola Estadual Professora Eurydice Zerbini, em Heliópolis, na capital.

Programa de Ensino Integral

Pelo novo programa, os estudantes passam a ter uma matriz curricular diferenciada que inclui projeto de vida, orientação de estudos e práticas experimentais. Há ainda clubes juvenis de acordo com temas de interesse como dança, xadrez e debates.

Os alunos contam com o apoio do professor tutor para fortalecer sua excelência acadêmica e na orientação do projeto de vida. Também frequentarão disciplinas eletivas escolhidas de acordo com seus objetivos.

Outras medidas e segunda onda

Além disso, o governador João Doria anunciou também a compra de viaturas blindadas e frotas blindadas para a polícia militar e civil. "A Polícia Civil também terá veículos blindados para pronta eficiência nas ruas."

Veja também: São Paulo retoma gradualmente visitas presenciais em presídios

O governador demonstrou preocupação com a segunda onda da pandemia do novo coronavírus. "Ainda estamos com indicadores que nos remetem aos primeiros momentos da pandemia e temos reduzido o número de internações, infecções e óbitos", afirmou. "Entretanto, estamos intensificando casos da doença a partir de encontros sociais, almoços de família, reuniões, rodas de conhecidos, rodas de bar, calçadões de praia. Relaxar as regras promove e contribui para a contaminação."

"Nas duas últimas semanas tivemos mudanças nos quadros da Europa, em países como França, Reino Unidos, Itália. A França já começa a fazer transferências de países para a Alemanha, as medidas são duras", afirmou João Gabardo, secretário executivo do Centro de Contingência do Coronavírus.

Últimas