São Paulo Secretaria de Justiça investigará caso de menino agredido por segurança do Burger King

Secretaria de Justiça investigará caso de menino agredido por segurança do Burger King

Coordenação de Políticas para a População Negra e Indígena fará apuração preliminar, podendo ser levada a processo administrativo

  • São Paulo | Do R7

Menino foi agredido por segurança na noite de terça-feira (15)

Menino foi agredido por segurança na noite de terça-feira (15)

Reprodução

A Secretaria Estadual da Justiça e Cidadania de São Paulo investigará o caso do menino agredido com um cinto pelo segurança de uma unidade do Burger King no Ipiranga, zona sul de São Paulo, na última terça-feira (15).

A pasta informou à reportagem que a Coordenação de Políticas para a População Negra e Indígena realizará a apuração preliminar, que poderá ser levada a um processo administrativo após a primeira fase de investigação.

Na noite de terça, o menino estava pedindo comida aos motoristas no estacionamento da lanchonete e recebeu um copo de refrigerante.

Quando ele tentava entrar na unidade para encher o copo, o segurança jogou o item no lixo e usou o próprio cinto para bater na criança, que ficou com as costas marcadas pelas lesões. Um cliente gravou parte da ação.

Nas imagens, é possível ver quando o funcionário segura o cinto e tenta atacar um adolescente que protegia o menino, mas acaba agredido e cai no chão.

A mãe do menino contou à Polícia Civil que, ao chegar do trabalho naquele dia, recebeu mensagens da família sobre a agressão que o filho havia sofrido e confirmou o fato com o garoto.

O caso foi registrado no 26º DP (Sacomã) como lesão corporal, com o agravante de ser cometida contra um menor de 14 anos. Foi solicitado exame de IML para a vítima.

Em nota, o Burger King disse que "encerrou o contrato com a empresa de serviço terceirizado responsável pela segurança e segue apurando o caso para tomar as demais medidas cabíveis".

Veja a nota da secretaria do governo do estado de São Paulo:

A Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo informa que tem a prerrogativa de iniciar processo administrativo para a apuração de casos de atos discriminatórios descritos na Lei Estadual n. 14.187/2010. A Coordenação de Políticas para a População Negra e Indígena vai instaurar expediente para identificar o caso, que poderá ser levado a Processo Administrativo após a apuração inicial.

Últimas