São Paulo Série de protestos no País é assunto mais comentado do mundo no Twitter

Série de protestos no País é assunto mais comentado do mundo no Twitter

A hashtag que está bombando entre os internautas é #VerásQueUmFilhoTeuNãoFogeALuta

  • São Paulo | Do R7

Hashtag curiosa com trecho do Hino Nacional bombou na internet

Hashtag curiosa com trecho do Hino Nacional bombou na internet

Reprodução/Twitter

A série de protestos em pelo menos oito cidades brasileiras ganhou as ruas e o mundo. Pelas redes sociais, as manifestações são comentadas por internautas em vários idiomas. A hashtag #VerásQueUmFilhoTeuNãoFogeALuta já atingiu o ranking dos Trending Topics do Twitter. A expressão, utilizada por manifestantes e viralizada mundo afora, foi escolhida por ser trecho do Hino Nacional.

"O Brasil está acordando, agora estou orgulhosa que minha nação #VerásQueUmFilhoTeuNãoFogeALuta", tuitou a jovem Paula Biancamano. Já a internauta Rafaela Baroni recorreu à Legião Urbana para enaltecer os protestos que acontecem em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, entre outras capitais, também utilizando a hashtag. "Somos os filhos da revolução, somos burgueses sem religião, somos o futuro da nação, geração coca-cola".

Mais de 100 mil participam de manifestação em SP. Veja fotos

A quinta expressão mais comentada no mundo todo é #GritaSemMedoBrasil. Uma internauta de Tocantins com o nick @PoetinhaMelF escreveu: "Eu apoio porque quero falar para meus filhos: 'minha geração mudou o Brasil'".

Insatisfação dos brasileiros

As manifestações, que tomaram conta do Brasil, começaram por São Paulo, onde cinco protestos já foram organizados pelo Movimento Passe Livre. O MPL tem como principal bandeira a mudança do sistema de transporte das cidades da iniciativa privada para um modelo público, "garantindo o acesso universal através do passe livre para todas as camadas da população". O movimento calcula que 37 milhões de brasileiros deixam de se utilizar do transporte público por não poder arcar com o custo das passagens.

Na prática, o MPL quer que o transporte público seja gratuito. Portanto, a briga não é somente contra o aumento de R$ 0,20 na tarifa do transporte coletivo em São Paulo — de R$ 3,00 para R$ 3,20.

Para especialistas, os R$ 0,20 a mais foram só a "gota-d'água". Ao R7, cientistas sociais avaliaram que está no centro das manifestações nas ruas a insatisfação dos brasileiros com problemas sociais que perpassam o modo de vida urbana do Brasil, a começar pelo transporte público.

Últimas