Sindicato dos Delegados de SP cobra governo sobre postura de PMs

Clima entre policiais civis e militares tem ficado tenso em SP, e sindicato pede que Secretaria de Segurança Pública crie protocolo de pacificação

  • São Paulo | Do R7

audima
SP tem tensão entre PMs e policiais civis
Reprodução/Record TV

O Sindpesp (Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo) cobrou respostas do governo paulista sobre posturas de policiais militares durante abordagens a policiais civis. O clima entre as políciais tem ficado tenso desde o último dia 8 de agosto, quando três PMs foram mortos por um falso policial civil na zona oeste da capital.

O pedido do sindicato que representa os delegados da Polícia Civil é que a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) crie protocolo de pacificação entre as policiais. 

De acordo com o Sindpesp, as abordagens de militares a policiais civis se tornaram agressivas e fora do padrão estabelecido pelas duas corporações. A tensão chegou ao ponto máximo na última terça-feira (25), quando um policial civil, que estava em uma viatura descaracterizada, foi abordado de forma truculenta por um militar, em Pinheiros, também na zona oeste de São Paulo.

Prevendo possíveis confrontos, o sindicato encaminhou um ofício ao secretário da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, solicitando a criação de um protocolo de padrão operacional para as abordagens na rua que envolvam policiais das duas corporações.

Infelizmente não foi possível exibir esse conteúdo. Atualizar Página

"Nosso objetivo é evitar conflitos e fatos nefastos entre policiais civis e militares em serviço. Cabe à secretaria elaborar um protocolo com regras que busquem a excelência das abordagens nessas circunstâncias, blindando os policiais e os cidadão", avalia Raquel Kobashi Gallinati Lombardi, presidente do Sindpesp.

Publicidade

"Importante salientar a necessidade de um posicionamento da SSP para que a avaliação de postura não recaia injustamente sobre um delegado de plantão, policiais civis em diligência ou nos policiais militares em patrulhamento", afirma.

Outro lado

O R7 procurou a SSP-SP para questionar se a pasta irá mediar esse conflito entre as duas instituições e quais providências poderiam ser adotadas.

A pasta se manifestou por meio de nota. "Por determinação do secretário de segurança pública, general João Camilo Pires de Campos, desde o último dia 8, as secretarias executivas da pasta trabalham para a adoção de um protocolo único de abordagem entre policiais. O trabalho está em fase final e será publicado na próxima semana".

Ir para versão mobile