São Paulo Sob toque de recolher, Botucatu (SP) é cercada pela polícia após ataques 

Sob toque de recolher, Botucatu (SP) é cercada pela polícia após ataques 

Prefeitura determinou que população não saia de casa, pois as diligências para encontrar os criminosos permanecem. Saídas da cidade estão fechadas

  • São Paulo | Do R7

Fogo em agência bancária atacada em Botucatu

Fogo em agência bancária atacada em Botucatu

Reprodução

A cidade de Botucatu, no interior de São Paulo, está cercada pela polícia para o trabalho de busca dos cerca de 30 criminosos que atacaram cinco agências bancárias na cidade durante a madrugada desta quinta-feira (30). Criminosos fortemente armados atacaram também o Batalhão de Polícia Militar do município para dificultar a saída dos policiais.

Leia também: Logística e sofisticação fazem polícia de Botucatu atribuir ataque a PCC

Desde o início da ação, a PM acionou o plano de contenção de ações contra bancos e cercou a região para impedir que a quadrilha saísse do município, informaram as forças de segurança em entrevista coletiva. As saídas foram cercadas para evitar qualquer tipo de confronto em área urbana e evitar possíveis danos a inocentes.

Veja também: Fogo, bloqueios e ataques: assalto a banco choca moradores de Botucatu

De acordo com a polícia, os criminosos que conseguiram deixar a cidade o fizeram a pé por área de mata. Há, porém, suspeitos ainda sendo procurados no município, de acordo com informações passadas durante entrevista coletiva.  Criminosos em fuga tentaram furar o bloqueio em quatro pontos, mas o polícia contou com o apoio de equipes de outras cidades.

Na ação foram apreendidos na ação sete fuzis calibre 762 e 556, um fuzil .50 e uma metralhadora 9 mm, além de explosivos. Também foi recuperada parte do dinheiro levado do Banco do Brasil com uso de explosivos.

Leia também: Suspeito de ataque em Botucatu morre após troca de tiros com a PM

São usados nas buscas pelos criminosos dois helicópteros da PM e drones, além de agentes e peritos da polícia civil. Dois policiais militares ficaram feridos, mas não correm o risco de morrer.

De acordo com a polícia, o grupo que realizou os ataques era bem equipado e preparado. Uma das hipóteses para os ataques seria de uma possível retaliação pela incineração de uma vultosa apreensão de drogas na cidade.  

"Nós nunca apreendemos tanta droga quanto de janeiro a junho deste ano. Estamos dando pancada dura no crime, não só na apreensão dos ativos como na de armas. Nesta noite houve uma grande apreensão de itens que seriam usados em roubo a bancos em São José dos Campos. Nosso papel é enfraquecê-los e enfrentá-los", afirmou o general Campos, secretário de Segurança Pública de Paulo.

A cidade segue sob toque de recolher dado pela Prefeitura de Botucatu, já que as diligências para encontrar os criminosos permanecem. Em nota, a gestão municipal pediu aos moradores que permaneçam em suas casas e "não procurem possíveis pontos danificados pela cidade, para que isso não coloque em risco a segurança de todos e não interfira no trabalho das forças de segurança".

Ainda não há confirmação sobre a motivação dos ataques, mas um dos possíveis motivos seria por retaliação pela incineração de cerca de 600 quilos de drogas coordenada pela Delegacia Seccional de Polícia de Botucatu durante esta quarta-feira (29).

Últimas