São Paulo Sobrevivente do ataque de Suzano é a 1ª da Educação vacinada em SP

Sobrevivente do ataque de Suzano é a 1ª da Educação vacinada em SP

Campanha para imunizar profissionais que atuam em escolas paulistas com 47 anos ou mais começou neste sábado (10)

  • São Paulo | Do R7

Merendeira da escola Raul Brasil foi 1ª vacinada

Merendeira da escola Raul Brasil foi 1ª vacinada

Divulgação/Governo de SP

O Estado de São Paulo começou, neste sábado (10), a vacinação de profissionais da Educação com 47 anos ou mais. A primeira dose foi aplicada na merendeira Silmara Cristina Silva de Moraes, que é uma das sobreviventes do massacre que aconteceu há dois anos na escola estadual Raul Brasil, em Suzano.

“A merendeira Silmara Moraes foi a primeira servidora da Educação a ser vacinada. No fatídico episódio em 2019 aqui na Raul Brasil, Silmara acolheu vários alunos na cozinha no momento do tiroteio, salvando a vida deles”, afirmou o secretário da Educação, Rossieli Soares, que esteve na escola.

No massacre do dia 13 de março de 2019, dois ex-alunos invadiram a escola armados, mataram sete pessoas e, na sequência, tiraram a própria vida. Minutos antes do ataque na escola, eles já haviam matado o tio de um dos atiradores. No total, o crime deixou dez mortos e 11 feridos.

De acordo com o Governo de São Paulo, o início da vacinação que pretende imunizar 350 mil profissionais também marcou a reabertura da escola Raul Brasil, que passou por uma grande reforma em 2020.

O início da vacinação estava previsto para segunda-feira (12), mas a antecipação foi anunciada na sexta-feira (9) pelo governo do Estado. Segundo dados da Seduc (Secretaria de Educação do Estado de São Paulo), mais de 170 mil profissionais da Educação já fizeram o cadastro na plataforma Vacina Já Educação.

Segungo o governo paulista, essa primeira fase da vacinação nas escolas atende a profissionais que atuam desde creches até o ensino médio de unidades pública e particular, e tem como objetivo garantir mais segurança para o retorno das atividades presenciais.

Podem ser imunizados secretários, auxiliares de serviços gerais, faxineiras, mediadores, merendeiras, monitores, cuidadores, diretores, vice-diretores, professores de todos os ciclos da educação básica, professores coordenadores pedagógicos, além de professores temporários.

Aposentados e funcionários afastados não serão imunizados ainda. Nesta primeira fase, a vacinação se destina apenas aos que estão na ativa e na rotina da escola.

Últimas