Novo Coronavírus

São Paulo Sorocaba e Piracicaba recusam fase mais flexível do plano São Paulo

Sorocaba e Piracicaba recusam fase mais flexível do plano São Paulo

Alta ocupação dos hospitais e o grande número de casos e mortes levaram os prefeitos a manter o funcionamento apenas das atividades essenciais

Agência Estado
Santa Casa de Sorocaba, que recebe pacientes com a covid-19

Santa Casa de Sorocaba, que recebe pacientes com a covid-19

Reprodução/Google Maps

Elevadas para a fase laranja nesta sexta-feira (10), duas das principais cidades do interior paulista - Sorocaba e Piracicaba - recusaram a promoção e vão continuar na fase vermelha, a mais restrita do Plano São Paulo de retomada das atividades.

Leia também: Fiscalização flagra 'rave' com 700 pessoas sem máscara em Sorocaba

A alta ocupação dos hospitais que atendem pacientes com o novo coronavírus e o grande número de casos e mortes pela doença levaram os prefeitos a manter o funcionamento apenas das atividades essenciais.

Pelos critérios do plano estadual, as cidades reuniram condições de abrir, com restrições, o comércio não essencial. Os demais municípios da região, no entanto, migram para a fase laranja.

Em Sorocaba, mesmo com a abertura de 25 novos leitos esta semana dez pacientes aguardavam vagas em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) na rede pública.

Leia também: Sancionada autorização para mudar data de pagamento do IPVA em SP

"Seria uma irresponsabilidade, uma incongruência diante da saturação da taxa de ocupação de leitos de enfermaria e UTI nós abrirmos as atividades econômicas, de forma que a doença poderia se alastrar", disse a prefeita Jaqueline Coutinho (PSL).

Em 24 horas, a cidade registrou 871 novos casos, chegando a 8.199 positivos e 162 mortes. A ocupação em hospitais públicos era de 94,7%, mas a Santa Casa, com maior quantidade de leitos para a covid-19, tinha 100% de ocupação.

Na mesma linha, o prefeito Barjas Negri (PSDB), de Piracicaba, decidiu que não só manterá a cidade na fase vermelha, como vai proibir, a partir da próxima quinta-feira (15) a venda e distribuição de bebidas alcoólicas em todo o comércio, essencial ou não, depois das 18h.

Leia também: Prefeitura de SP assina protocolo para reabrir academias

"Resolvemos permanecer com o comércio fechado porque o número de casos vem aumentando e, consequentemente, a ocupação de leitos", afirmou Negri.

O decreto será publicado na segunda (13). Nesta sexta, foram confirmados mais 171 casos e seis óbitos - agora são 4.230 casos positivos e 43 mortes. Nos últimos dez dias, o número de casos aumentou 36% e a ocupação de leitos de UTI cresceu 38%.

Prefeito defende maior restrição

Após a confirmação da 47.ª morte pelo coronavírus, o prefeito de Rio Claro, João Teixeira Junior (DEM) informou que também pode abrir mão da fase laranja e continuar na vermelha.

Em quarentena após contrair a covid-19, o prefeito publicou live em redes sociais defendendo a maior restrição. "Voltar para a fase vermelha foi importante e continua sendo importante, pois a doença cresceu em ritmo menor", disse.

Segundo ele, quando a cidade estava na fase laranja, o aumento nos casos foi de 454% e, de mortes, 92%. Já na fase de maior restrição, os percentuais caíram para 120% e 48%, respectivamente.

Últimas