Coronavírus

São Paulo SP: 72% das cidades não tiveram mortes por Covid na última semana

SP: 72% das cidades não tiveram mortes por Covid na última semana

Segundo o governo, 60% da população foi imunizada com as duas doses da vacina, o que equivale a 27,5 milhões de pessoas 

  • São Paulo | Do R7

Sete em cada dez cidades de SP não tiveram mortes por Covid nos últimos sete dias

Sete em cada dez cidades de SP não tiveram mortes por Covid nos últimos sete dias

Reprodução/Flickr/Prefeitura de Itapevi - 30.09.2021

O Estado de São Paulo registrou, nesta quarta-feira (6), 72% das cidades sem mortes por Covid-19 na última semana. Isso significa que sete em cada dez municípios não tiveram óbitos pela doença nos últimos sete dias. Na última semana, 467 cidades não tiveram mortes no estado.

Além disso, dados divulgados pelo governo mostram que 60% da população do estado foi imunizada com as duas doses da vacina contra a Covid-19, o que equivale a 27,5 milhões de pessoas.

Segundo o governo, 3,8 milhões de pessoas, no entanto, não retornaram para tomar a segunda dose e completar o esquema vacinal. Até o momento, 65.478.931 doses foram aplicadas no estado, sendo 37.049.515 de primeira dose, 26.472.063 de segunda dose, 1.159.463 de dose única e 797.890 de dose de reforço.

O estado registrou ainda um recorde de aplicação da terceira dose: 122 mil doses em um único dia. "Todos sabem que a variante Delta predomina, e havia previsões de que estaríamos numa situação bem difícil atualmente, mas não foi o que observamos. Em março, tivemos o pico da pandemia, com mais de 3 mil novas internações por dia, mas isso caiu 84%, e estamos abaixo de 550 novas internações por dia", disse Paulo Menezes, coordenador do Comitê Científico do Estado de São Paulo. 

Segundo ele, o estado teve, no pico da pandemia, 500 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes e hoje existem 50 casos por 100 mil. "Mesmo que tenhamos uma intensificação da variante Delta, o efeito dela é insignificante porque as pessoas estão com uma taxa elevada de imunização", disse João Gabbardo, que também integra o comitê. 

"Nosso monitoramento diário indica que as taxas de internação e óbitos são muito pequenos. Os internados são pessoas que não completaram a imunização. Estamos com 99% da população acima de 18 anos já tendo tomado a 2ª dose. Isso significa que o número de pessoas que se negam a tomar a segunda dose é insignificante."

A enfermeira Mônica Calazans, a primeira brasileira vacinada contra a Covid-19, recebeu nesta quarta-feira a dose de reforço. De acordo com o secretário estadual da saúde, Jean Gorinchteyn, a taxa de ocupação nas UTI do estado é de 31,4% e na Grande São Paulo, de 39,1%. Segundo ele, houve uma redução de 17,6% no casos de Covid, 0,9% de queda nas internações e diminuição de 2,8% nas mortes.

Últimas