SP: alta de casos de covid-19 se deve à ampliação dos testes, diz governo

Por outro lado, desacelerou o ritmo de internações por síndrome respiratória aguda grave, que pode indicar covid-19, nos hospitais do estado

Doria: "SP não é mais o epicentro da pandemia"

Doria: "SP não é mais o epicentro da pandemia"

Roberto Casimiro /Fotoarena/Folhapress - 3.6.2020

Um dia após o recorde de novos casos de covid-19 em São Paulo, o coordenador-executivo do Comitê de Saúde do governo estadual, João Gabbardo dos Reis, atribuiu a alta de registros da doença à ampliação da testagem.

"Os dados não mostram que houve piora, pelo contrário, o que nós temos é uma elevação no número de casos novos que está vinculada ao aumento da testagem. Isso é esperado", disse em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (3).

Ontem, o estado registrou 6.999 novos casos, e nesta quarta-feira, 5.188. Os óbitos somados chegam a 8.276.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, apresentou dados consolidados que mostram que as internações por síndrome respiratória aguda grave cresceram 4% entre 26 de maio e 2 de junho. Na semana anterior a esta, havia subido 7%.

Nos hospitais públicos e privados deram entrada 11.436 pessoas com confirmação ou suspeita de covid-19 nos últimos sete dias, segundo o governo.

"A gente espera que esse número de casos suba mais do que proporcionalmente com relação ao indicador de novas internações por síndrome respiratória aguda grave, que este número melhorou em relação à semana anterior também."

O governador João Doria enfatizou que "São Paulo não é mais o epicentro da pandemia" no Brasil. Isto porque em mortes por milhão de habitantes, o estado ocupa a 9º posição.