Novo Coronavírus

São Paulo SP amplia público-alvo para doses restantes da vacina contra covid

SP amplia público-alvo para doses restantes da vacina contra covid

Profissionais da saúde com mais de 18 anos e pessoas com comorbidades acima dos 55 podem receber ‘xepa’, avisa prefeitura

  • São Paulo | Do R7

Mudança da prefeitura paulistana passou a valer nesta segunda-feira (10)

Mudança da prefeitura paulistana passou a valer nesta segunda-feira (10)

João Nogueira/Futura Press/Estadão Conteúdo - 05.05.2021

A prefeitura de São Paulo ampliou o público-alvo para receber as doses remanescentes – as chamadas “xepas” – das vacinas contra a covid-19 na cidade. A mudança passou a valer nesta segunda-feira (10).

A partir de agora, caso haja doses restantes após o término das atividades de cada dia, está autorizada a aplicação em profissionais de saúde acima dos 18 anos e pessoas com comorbidade com mais de 55 anos, que devem se cadastrar nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) mais próximas de suas residências.

A inclusão dos dois grupos se deu devido ao avanço das faixas etárias na campanha de imunização na capital paulista e, segundo a gestão municipal, segue as diretrizes do PNI (Programa Nacional de Imunização).

As UBSs deverão manter as listas de espera na área de abrangência com os telefones para convocar o público disponível para as doses remanescentes, que deverá entrar em contato com a unidade para deixar o nome e contato na lista. A ordem, informa a prefeitura, é não desprezar nenhuma dose de vacina.

Quem foi incluído na lista

Segundo a prefeitura de São Paulo (SP), são considerados profissionais de saúde os seguintes profissionais: médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, técnicos de laboratório que façam coleta de RT PCR SARS CoV2 e análise de amostra de Covid-19, farmacêuticos, técnicos de farmácia, odontólogos, auxiliares e técnicos de saúde bucal, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais da educação física e médicos veterinários.

Já a lista de comorbidades que entrarão no grupo para receber as doses remanescentes é definida pelo Ministério da Saúde.

São elas: doenças cardiovasculares (insuficiência cardíaca; cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva; síndromes coronarianas; valvopatias; miocardiopatias e pericardiopatias; doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas; arritmias cardíacas; cardiopatias congênitas no adulto; próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados); diabetes mellitus; pneumopatias crônicas graves; hipertensão arterial (resistente har); estágio 3 ou estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade); doença cerebrovascular; doença renal crônica; imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com hiv; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer); anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves); obesidade mórbida e cirrose hepática.

Últimas