São Paulo SP: Caminhoneiro é sequestrado e criminosos pedem resgate por Pix

SP: Caminhoneiro é sequestrado e criminosos pedem resgate por Pix

Sequestradores pediram R$ 50 mil por resgate e roubaram carga de doce de caminhão, em Barueri, região metropolitana de São Paulo

  • São Paulo | Do R7

Caminhão sequestrado na Grande SP

Caminhão sequestrado na Grande SP

Reprodução

A polícia resgatou um motorista de caminhão sequestrado por quadrilha, em Barueri, na região metropolitana de São Paulo, nesta quinta-feira (13). Seis suspeitos de cometerem o crime foram presos.

De acordo com as investigações, a quadrilha ligou para o chefe do caminhoneiro pedindo um resgate no valor de R$ 50 mil, que deveria ser efetuado via Pix. O homem acionou a polícia imediatamente para comunicar sobre o sequestro e o roubo.

De acordo com o delegado Eduardo Brotero, do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos), o sequestro começou na madrugada desta quinta-feira, quando a vítima estava em um pátio de caminhões, em Barueri, quando um homem bateu no vidro de seu veículo.

O suspeito pediu uma ferramenta emprestada e o motorista desembarcou do caminhão, que transportava 25 toneladas de doces. Em seguida, ele foi abordado por três homens armados.

A vítima foi colocada em um carro Sedan, na cor branca, e levada até um barraco, localizado a cerca de 15 minutos do pátio, onde permaneceu sendo feito refém.

Posteriormente, por meio de um rastreador, a Polícia Civil encontrou três suspeitos fazendo o transbordo da carga de doce para um segundo caminhão. No total, seis criminosos foram presos.

Enquanto isso, por volta das 11h, a vítima foi levada a pé para outro barraco e, em seguida, o levaram até as imediações do quilômetro 18 da Rodovia Anhanguera. No endereço, ordenaram que o caminhoneiro continuasse andando e não olhasse para trás.

A vítima foi caminhando até encontrar um posto de gasolina, onde foi resgatado pelos policiais sem ferimentos.

O caso está sendo registrado na Delegacia de Antissequestro, que ainda investiga a participação de outras pessoas no crime. Dos seis presos, o caminhoneiro reconheceu apenas dois.

Últimas