São Paulo SP: chuva perde força, mas rodízio segue suspenso nesta terça-feira

SP: chuva perde força, mas rodízio segue suspenso nesta terça-feira

Após caos nesta segunda-feira, a capital paulista teve uma madrugada com chuviscos em pontos isolados e a tendência é que a frente fria siga para o Rio

  • São Paulo | Do R7

Carros com placas final 3 e 4 poderão circular normalmente nesta terça-feira (11)

Carros com placas final 3 e 4 poderão circular normalmente nesta terça-feira (11)

REYNESSON DAMASCENO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO/10.2.20

O rodízio municipal de veículos segue suspenso nesta terça-feira (11) em decorrência das fortes chuvas que atingiram a cidade de São Paulo nesta segunda-feira (10).

Por determinação do prefeito Bruno Covas, carros com placas final 3 e 4 podem circular pela cidade. As áreas de zona azul vão funcionar normalmente.

A Prefeitura informou que "estão mantidas as aulas nas escolas da rede municipal de ensino na terça-feira, e os serviços de saúde estão liberados para atendimento em qualquer unidade, independente do endereço de moradia do munícipe".

Ausência de alertas deixa população sem proteção, diz especialista

As 468 Unidades Básicas de Saúde da capital também devem funcionar normalmente, "com estratégias para o acolhimento e resolução das intercorrências caso continuem ou aumentem as chuvas", afirmou a administração municipal.

A Ceagesp, principal entreposto de armazéns da Grande São Paulo, seguirá fechada nesta terça-feira após ter sido inundada no dia anterior. Uma nova avaliação será feita às 12h, mas a expectativa dos comerciantes é voltar a operar apenas a partir de quarta (12).

No transporte público, por volta das 6h00, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) informou que devido a serviços de manutenção e limpeza dos danos causados pela chuva, os trens da Linha 9 – Esmeralda circulam com maiores intervalos entre as estações Osasco e Grajaú.

Situação da madrugada

A chuva que começou a cair forte ainda na madrugada desta segunda-feira e alagou 164 pontos na cidade de São Paulo perdeu força à noite. Nesta madrugada, os alagamentos cederam, e o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), da prefeitura, decretou o fim do estado de atenção em diversos pontos da cidade.

Por volta das 5h30, o CGE registrava apenas um ponto de alagamento intransitável na avenida Morrafej, na altura da Ceagesp, na zona oeste da capital. 

A marginal do Tietê, que ficou intransitável durante o dia, devido ao transbordamento do rio, saiu do estado de atenção para enchentes às 00h40. Mas a pista expressa continuava fechada para limpeza entre as pontes Tatuapé e Casa Verde, no sentido Castello Branco. 

A madrugada seguiu com céu encoberto e pontos isolados de chuviscos. Segundo o CGE, a frente fria se afasta do litoral paulista e segue para o Rio de Janeiro, onde  a chuva já causou estragos nesta segunda-feira, sobretudo na Baixada Fluminense. 

Por que a cidade de São Paulo não consegue evitar as enchentes frequentes?

Na Grande São Paulo, a tendência para os próximos dias é de céu encoberto e chuvas fracas por causa da circulação dos ventos marítimos. As temperaturas entram em ligeiro declínio e volta a subir a partir da próxima quinta-feira (13).

Segunda de caos

A segunda-feira foi marcada por uma série de problemas em função das fortes chuvas incluindo 164 pontos de alagamentos na cidade de São Paulo, além de ocorrências de deslizamentos de terra e queda de árvores e falta de energia.

Somente a central do Corpo de Bombeiros recebeu mais de 9,3 mil chamados em função das chuvas. Ao todo, as equipes atenderam 1.043 ocorrências de enchentes, 193 de desabamentos ou desmoronamentos e 219 relacionadas a quedas de árvores.

Últimas