Novo Coronavírus

São Paulo SP cobra verba do Ministério da Saúde para financiar leitos de UTI

SP cobra verba do Ministério da Saúde para financiar leitos de UTI

Segundo Secretaria Estadual da Saúde, está pendente a liberação do recurso para 4.351 vagas no estado em meio à pandemia

Agência Estado
SP cobra verba do Ministério da Saúde para financiar mais de 4 mil leitos de UTI

SP cobra verba do Ministério da Saúde para financiar mais de 4 mil leitos de UTI

Suamy Beydoun/Agif - Agência de Fotografia/Estadão Conteúdo

A Secretaria Estadual da Saúde enviou ofício ao governo federal nesta terça (2), cobrando a liberação de recursos para leitos de UTI. Segundo a gestão paulista, está pendente a liberação de verba para 4.351 vagas e o Ministério da Saúde só manteve financiamento para manter 11,4% dos leitos para covid no Estado, que sofre com a alta de infectados.

"Não tivemos resposta ainda. O ofício é uma reiteração do que constantemente temos informado ao ministério. A falta de resposta significa que Estado e municípios terão de colocar, de um dia para o outro, R$ 210 milhões mensalmente para financiar esses leitos que subitamente o ministério deixa de manter", disse ao Estadão Eduardo Ribeiro, secretário executivo da pasta da Saúde.

O total de leitos UTI covid implementados no Estado é de 5.263 - hoje 4.915 estão ativos. Desses, segundo o Estado, só 564 estão sendo financiados pelo ministério. O custo diário de uma UTI covid é de R$ 1,6 mil. No Sistema Único de Saúde, o governo federal tem atuado na habilitação e financiamento dos leitos de UTI. Ribeiro diz que a cada mês o governo estadual precisou elevar o investimento na manutenção dos leitos, pois o ministério reduzia repasses. "Houve diminuição de cerca de 30% nas habilitações nos últimos seis meses", disse Ribeiro. Procurado pela reportagem ontem à noite, o ministério não respondeu até 20h50.

A pressão por mais verba ocorre em um momento que Estados e municípios buscam aumentar leitos para evitar o que aconteceu no Amazonas há 20 dias, quando a rede de saúde entrou em colapso e pacientes morreram asfixiados por falta de oxigênio hospitalar. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 67,3% na Grande São Paulo e 68,1% no Estado. O total de internados é de 12.987, sendo 7.027 em enfermaria e 5.960 em UTI, conforme balanço de ontem à tarde.

No último dia 22, o governo de São Paulo anunciou a ativação de 756 leitos em hospitais estaduais. Serão abertos 306 leitos de UTI covid e outros 450 de enfermaria até o fim do mês.

Últimas