São Paulo SP começa a escavação de túnel da Linha 6-Laranja com 'tatuzão'

SP começa a escavação de túnel da Linha 6-Laranja com 'tatuzão'

Escavação no sentido norte deve começar nos próximos meses, segundo o governo, e término das obras está previsto para 2025

  • São Paulo | Do R7

Tatuzão pesa 2 mil toneladas, possui diâmetro de 10,61m e extensão de 109m

Tatuzão pesa 2 mil toneladas, possui diâmetro de 10,61m e extensão de 109m

Reprodução/Governo do Estado de São Paulo

O Governo do Estado de São Paulo iniciou nesta quinta-feira (16) a operação da primeira tuneladora para a escavação do túnel da Linha 6-Laranja do Metrô na capital paulista, que irá da Brasilândia, na zona norte, ao centro da cidade.

Chamado de ‘tatuzão’, o equipamento escavará o túnel no sentido sul até a Estação São Joaquim, da Linha 1-Azul, e deve percorrer aproximadamente dez quilômetros nos próximos meses. Serão contempladas dez estações.

“Essa obra foi um desafio. Quando assumimos o Governo, tínhamos 30 grandes obras paradas no estado”, disse o governador João Doria, que esteve presente no início das operações.

A escavação do túnel no sentido norte deve começar no primeiro semestre de 2022, segundo o governo paulista, e o término das obras está previsto para 2025. Segundo o governo, nove mil empregos serão gerados ao longo das operações.

A Linha 6-Laranja terá 15 estações ao longo de 15 km de extensão, ligando o bairro da Brasilândia à estação São Joaquim, na região central de são Paulo.

De acordo com a gestão estadual, a linha reduzirá o trajeto de 1h30, comumente feito de ônibus, para 23 minutos de percurso dos usuários. Serão 630 mil passageiros por dia, prevê o governo.

A Linha 6 é uma PPP (parceria público-privada) entre o governo paulista e a Concessionária Linha Universidade, e suas obras são executadas pelo grupo Acciona. Ao término das obras, a Linha Uni irá operar a linha por 19 anos.

“O início da operação do tatuzão é um momento emblemático nas obras da Linha 6-Laranja, considerado o maior empreendimento em infraestrutura na América Latina”, disse o secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli.

Últimas