São Paulo SP começa a vacinar pessoas com comorbidades com mais de 18 anos

SP começa a vacinar pessoas com comorbidades com mais de 18 anos

Cidade antecipa vacinação de pessoas com deficiência permanente. Gestantes e puérperas também começam a ser imunizadas

  • São Paulo | Do R7

SP começa a vacinar pessoas com comorbidades e deficiência permanente a partir de 18 anos

SP começa a vacinar pessoas com comorbidades e deficiência permanente a partir de 18 anos

Ricardo Maldonado Rozo/EFE - 04.06.2021

Pessoas com comorbidades e deficiência permanente acima com mais de 18 anos podem começar a se vacinar contra a covid-19. A Prefeitura de São Paulo, por meio do Programa Municipal de Imunização (PMI) da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), antecipou para a segunda-feira (7) a vacinação desse grupo. 

A prefeitura também começou a aplicar a primeira dose do imunizante as gestantes e puérperas acima dos 18 anos, com indicação médica. Para este público, serão utilizados imunizantes da Pfizer e da Coronavac.

A recomendação da secretaria da saúde é para quem for tomar a primeira dose da vacina apresentar um comprovante de condição de risco, como receitas/relatórios físicos ou digitais, fotografia em celular, e demais formas, desde que com identificação do paciente, CRM e na validade de dois anos de emissão. Também é necessário apresentar um comprovante de residência do município de São Paulo.

Assim como os demais grupos contemplados na imunização, este público poderá ser imunizado nas 468 Unidades Básicas de Saúde (UBS), AMA/UBS Integradas, nos dez mega postos, farmácias e drives implantados na cidade. Quem precisar tomar a segunda dose deve procurar uma das UBSs da cidade.

Segundo a prefeitura, pessoas com comorbidades acima dos 18 anos devem comparecer a um posto de vacinação com um documento de identificação, sendo preferencialmente CPF, além de um comprovante de residência da cidade de São Paulo e um documento que comprove a condição de risco, que pode ser um exame, receita, relatório ou prescrição médica, contendo o CRM do médico e com emissão máxima de 2 anos.

Já as pessoas com deficiência permanente inscritas no BPC a partir dos 18 anos devem apresentar, além de um documento de identificação e um comprovante de residência da cidade de São Paulo, um documento que comprove a deficiência, que pode ser um laudo médico, cartão de gratuidade no transporte público, documentos comprobatórios de atendimento em centros de reabilitação ou unidades especializadas no atendimento de pessoas com deficiência ou documento oficial de identidade com a indicação da deficiência.

É necessário também apresentarr um comprovante do recebimento do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC).

Últimas