São Paulo SP começa semana com eventos cancelados e faculdades fechadas

SP começa semana com eventos cancelados e faculdades fechadas

Estado tem 136 casos diagnosticados com coronavírus. Governo, instituições públicas e privadas adotam medidas para conter a proliferação do vírus

  • São Paulo | Do R7

Uso de máscara e álcool gel são principais formas de prevenção contra o vírus

Uso de máscara e álcool gel são principais formas de prevenção contra o vírus

Amanda Perobelli/Reuters

O estado de São Paulo amanheceu, nesta segunda-feira (16), com universidades fechadas e eventos cancelados pelo avanço do coronavírus em todo o país. O número de casos chegou a 136 em todo o estado, de acordo com o último boletim divulgado na noite do domingo (15).

Com o rápido avanço, o governador do estado de São Paulo, João Dória (PSDB), anunciou, também na noite deste domingo, novas medidas de contenção para reduzir a proliferação das infecções por coronavírus e avisou que novas restrições podem ser adotadas nos próximos dias.

A partir da terça-feira (17) todos os funcionários públicos com mais de 60 anos passarão a trabalhar de casa, com exceção daqueles dos setores de segurança pública e de saúde. "Esses seguirão suas funções normalmente", disse.

Doria anunciou também o fechamento de bibliotecas, museus e centros culturais até o dia 17 de abril. Os 153 centros de idosos do Estado serão fechados por 60 dias. O governo do Estado recomendou que cinemas, casas de shows e teatros privados permaneçam fechados de 17 de marco a 17 de abril.

Leia mais: Em SP, consumidores estocam papel higiênico, água e não perecíveis

"A prioridade é proteger vidas e estas são medidas que estão sendo tomadas com amparo da ciência. Temos uma equipe de sete infectologistas que trabalham sob o comando do Dr. Uip acompanhando a situação. As medidas podem ser endurecidas nos próximos dias", disse o governador.

Universidades

Universidades públicas e privadas decidiram suspender as atividades nos próximos dias para evitar a proliferação do coronavírus. A PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) determinou a suspensão de aulas e eventos acadêmicos na próxima segunda-feira (16) por conta da pandemia do coronavírus. A universidade deve emitir um outro comunicado na segunda com novas definições. A PUC de Campinas anunciou a suspensão das atividades acadêmicas de 16 a 21 de março.

Até o momento, 12 universidades públicas e particulares de São Paulo cancelaram suas aulas por conta do novo coronavírus. São elas: USP, Unesp e Unicamp com aulas suspensas por tempo indeterminado, Mackenzie, com aulas suspensas até 22 de março, UFABC, com aulas suspensas entre 16 e 22 de março, Anhembi Morumbi, com aulas suspensas temporariamente, FAAP coma ulas suspensas até 17 de março, Cásper Líbero, com aulas suspensas até 20 de março, ESPM, com aulas suspensas até 23 de março, Universidade São Judas Tadeu, com aulas suspensas até 29 de março.

Na USP, o Cruesp (Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas), afirmou que "a situação será avaliada continuamente e a data de retorno das aulas presenciais será divulgada oportunamente".

Os cursos das áreas de saúde, tais como medicina e enfermagem, não serão afetados pela decisão. A ideia é que esses estudantes possam contribuir com ações que visam a "contenção da epidemia" nas regiões em que as instituições de ensino estão localizadas. A recomendação é que esses alunos procurem mais informações direto nas unidades em que estudam.

Paralisação gradual

A Prefeitura de São Paulo informou, nesta segunda-feira, que a paralisação será gradual durante essa semana, entre os dias 16 e 20 de março. As escolas ficarão abertas para receber pais e responsáveis para tirar eventuais dúvidas e encerrará as atividades na próxima segunda-feira (23).

Segundo a prefeitura, 3500 escolas municipais serão afetadas e paralisarão as atividades como forma de prevenção ao avanço do novo Coronavírus.

Eventos cancelados

O prefeito em exercídio na sexta-feira (13), Eduardo Tuma (PSDB), determinou o cancelamento de todos os "eventos de massa" públicos governamentais, esportivos, artísticos, culturais, políticos, científicos, comerciais com aglomerações de pessoas na cidade de São Paulo.

A prefeitura recomendou evitar a realização de eventos privados — que não dependem da autorização da gestão municipal para ocorrer. Jogos de futebol, por exemplo, dependem de decisões das federações. A FPF (Federação Paulista de Futebol) confirmou que, ao menos os jogos na capital paulista neste final de semana, não contarão com a presença de torcedores.

De acordo com a prefeitura, a medida foi tomada a pedido de Bruno Covas, que está de licença por motivos pessoais. Ele participou de coletiva de imprensa na última quinta-feira (12) junto do governador João Doria, que afirmou não haver "motivo para pânico" com a chegada do vírus em São Paulo.

A cidade de São Paulo já possui transmissão comunitária de coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde. Nesta fase, não é possível identificar a trajetória de infecção do vírus.

Últimas