Coronavírus

São Paulo SP compra 4 mi de doses, anuncia evento-teste e relaxa quarentena

SP compra 4 mi de doses, anuncia evento-teste e relaxa quarentena

Governo antecipa em 30 dias entrega de 100 mi de doses, realiza 30 eventos modelos e amplia funcionamento de bares e restaurantes

  • São Paulo | Do R7

Governo de SP compra 4 milhões de doses extras da CoronaVac

Governo de SP compra 4 milhões de doses extras da CoronaVac

Governo do Estado de São Paulo - 26.06.2021

O governo de São Paulo anunciou, nesta quarta-feira (7), novas medidas contra a pandemia do coronavírus. Entre elas, a antecipação em 30 dias da entrega de 100 milhões de doses da CoronaVac, a compra de mais quatro milhões de novas doses do imunizante do Butantan, a ampliação do horário de funcionamento de bares e restaurantes, a volta às aulas presenciais em universidades públicas e privadas para agosto e a realização de 30 eventos-testes com público.

"O Instituto Butantan vai entregar as 47 milhões de doses complementares do contrato com o Ministério da Saúde até 31 de agosto. Estamos antecipando em 30 dias para permitir que o Ministério acelere a vacinação de brasileiros de todo o país", disse Doria.

Até o momento, o Butantan forneceu mais de 53 milhões de doses do imunizante para uso no PNI (Programa Nacional de Imunizações), o que significa 43,4% das doses aplicadas no país.

"Temos feito um enorme esforço para recuperar os cronogramas que foram apresentados ao Ministério da Saúde. Agora, em junho, tivemos boa notícia de regularização do fornecimento de matéria-prima e isso nos permite novamente prever a conclusão do contrato com o Ministério da Saúde até o final de agosto", disse Dimas Covas.

Nesta segunda-feira (5), foram encaminhadas mais 937 mil doses da vacina, vindas prontas da China, ao Ministério da Saúde. Outras 63 mil doses prontas estão em avaliação pela área de Controle de Qualidade para liberação à pasta. Na semana que vem, serão entregues mais 10 milhões de doses. No dia 14 de julho, está prevista a chegada de mais 12 mil litros de insumos, suficientes para produzir 20 milhões de doses até o fim de agosto.

Compra de novas doses

Além da antecipação, o governo anunciou que vai receber mais 4 milhões de doses prontas da vacina CoronaVac para avançar com o PEI (Plano Estadual de Imunização) contra a covid-19 nos 645 municípios paulistas. O lote extra começa a ser entregue nesta quarta (7), com a chegada de 2,7 milhões de doses no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

"O governo de São Paulo compra, adicionalmente, 4 milhões de doses extras para agilizar a campanha de vacinação no estado", afirmou Doria. "Vamos antecipar o calendário de vacinação em São Paulo sem interferir no contrato do Instituto Butantan com o Brasil", acrescentou.

A chegada das 4 milhões de doses extras para São Paulo foi possibilitada pela Secretaria de Saúde após acordo entre o governo do estado e a biofarmacêutica Sinovac. A segunda remessa com 1,3 milhão de vacinas deve ser entregue no próximo dia 26. Seundo o governo, as tratativas para a aquisição destas doses extras foram iniciadas em março deste ano.

A meta das autoridades paulistas é de que toda a população adulta dos 645 municípios paulistas esteja protegida com ao menos uma dose até o dia 15 de setembro, com possibilidade de antecipação conforme a disponibilidade de imunizantes. Os imunizantes poderão ser usados pelas prefeituras tanto para completar os ciclos vacinais de duas doses, quanto para a ampliação do público de primeira dose.

Funcionamento de bares e restaurantes

São Paulo também irá ampliar a capacidade de público presencial e horário de funcionamento de comércios e serviços não essenciais a partir da próxima sexta-feira (9). Com o avanço da vacinação e a melhora dos índices de saúde no estado, os estabelecimentos poderão funcionar até as 23h, com limite de 60% de ocupação, até o dia 31 de julho.

"Com mais vacinas para toda a população e a queda constante dos índices da pandemia, caminhamos passo a passo, de uma maneira gradual e segura, para a volta plena do funcionamento da economia em São Paulo", disse Doria.

A partir de sexta, o limite de horário de funcionamento das atividades econômicas passa das 21hs para as 23hs. A capacidade máxima de ocupação permitida, atualmente em 40%, também sobe para 60%. Ambas as medidas são amparadas por recomendação do Centro de Contingência, com base nos dados de evolução da pandemia.

De acordo com os indicadores de Secretaria da Saúde, o total de novos casos, internações e mortes provocadas pelo coronavírus está em queda em São Paulo nas últimas semanas da pandemia em São Paulo.

Aulas presenciais em universidades

As faculdades técnicas e as universidades públicas e privadas do estado de São Paulo vão retomar as aulas presenciais a partir de 2 de agosto. A quantidade de alunos dentro de sala de aula, porém, será limitada, de acordo com a gestão tucana. 

"O governo do Estado de São Paulo anuncia a volta às aulas presenciais no ensino técnico e superior a partir do dia 2 de agosto. [...] O retorno prevê taxa de ocupação de 60% das faculdades de tecnologia e universidades públicas e privadas, obviamente com obediência a todos os protocolos de saúde, incluindo uso de máscaras e álcool gel", disse.

Eventos-testes

Doria anunciou também que vai colocar em prática testes para cerimônias esportivas, culturais, econômicas e de lazer no estado. Ao todo, serão 30 "eventos-modelo", como classificou o governador, para alavancar a retomada econômica no estado.

A experiência com presença de público começará ainda em julho, dentro de 10 dias. Os participantes, porém, deverão apresentar exame negativo para a covid-19, bem como estarem vacinados com as duas doses de vacinas (ou dose única, no caso da Janssen).

"São Paulo vai realizar 30 eventos-modelo com pessoas vacinas e testagem obrigatória a partir de 17 de julho. Mais uma vez, com a melhoria dos indicadores da pandemia, vamos dar um novo passo na retomada econômica no estado de São Paulo e vamos iniciar o acompanhamento de 30 eventos nas áreas de cultura, negócios, lazer, esportes e turismo", disse Doria. 

Os eventos serão realizados, segundo o governador, com testagem obrigatória e pessoas vacinadas. Além disso, Doria disse ainda que serão mantidos os protocolos sanitários para segurança, controle e monitoramento dos participantes.

Últimas