Coronavírus

São Paulo SP deixa fase vermelha e volta para amarela nesta segunda (4)

SP deixa fase vermelha e volta para amarela nesta segunda (4)

Após passar os dias 1, 2 e 3 de janeiro na fase mais restritiva do plano São Paulo, estado volta para a classificação amarela 

Estado permaneceu na fase vermelha do Plano SP durante festas de fim de ano

Estado permaneceu na fase vermelha do Plano SP durante festas de fim de ano

FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDO

Após passar três dias na fase vermelha do plano São Paulo, o Estado retorna, nesta segunda-feira (4), para a fase amarela do plano de flexibilização para conter a disseminação do novo coronavírus. Por decisão do governo de São Paulo no dia 31 de dezembro, todos os 645 municípios do Estado voltaram à fase 1-vermelha, a mais restritiva do plano. A medida teve validade entre os dias 1 e 3 de janeiro.

O primeiro fim de semana do ano em São Paulo começou com ruas e avenidas desertas e bares e restaurantes fechados. Em contrapartida, praias do litoral paulista ficaram lotadas de turistas promovendo aglomerações em espaços públicos.

A meta do governo era tentar conter o avanço de casos do novo coronavírus que, segundo a Secretaria Estadual da Saúde, cresceram 76% em dezembro em São Paulo, na comparação com novembro. As mortes também tiveram crescimento de 66% em relação ao mês anterior.

Na fase 1-vermelha só podem funcionar os serviços considerados essenciais nas áreas de abastecimento, segurança, transporte e saúde como mercados, farmácias, postos de combustível, padarias e lavanderias.

A média móvel de óbitos dos últimos sete dias, que chegou a estar abaixo de 100 entre o fim de outubro e a primeira quinzena de novembro, ultrapassou as 150 novas mortes em alguns dias de dezembro. A média móvel de casos também subiu e está em 6.258. O índice esteve abaixo de 4 mil em diversos dias de outubro e novembro.

Durante a etapa mais restritiva, shoppings, bares, comércio de rua, academias, restaurantes, concessionárias, escritórios, eventos culturais e salões de beleza não podem funcionar. Agora, com a volta para a fase 3-amarela do Plano São Paulo, comércio e serviços podem operar com até 40% de capacidade e horário de funcionamento restrito.

O Plano São Paulo é dividido em cinco fases, que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul).

Veja as regras da fase amarela

Shoppings centers

Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local.

Horário reduzido (10 horas).

Praças de alimentação (ao ar livre ou em áreas arejadas).

Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Comércio e serviços

Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local.

Horário reduzido (10 horas).

Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Bares e restaurantes

Somente ao ar livre ou em áreas arejadas.

Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local.

Horário reduzido (10 horas).

Consumo local até 17h.

Consumo local até as 22h (se a região estiver a ao menos 14 dias seguidos na fase amarela).

Adoção dos protocolos padrões e setoriais específicos.

Salões de beleza e barbearias

Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local.

Horário reduzido (10 horas).

Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Academias

Ocupação máxima limitada a 30% da capacidade do local.

Horário reduzido (10 horas).

Agendamento prévio com hora marcada.

Permissão apenas de aulas e práticas individuais, mantendo-se as aulas e práticas em grupo suspensas.

Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Eventos e atividades culturais

Permitido após a região ficar ao menos 28 dias consecutivos na fase amarela.

Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local.

Obrigação de controle de acesso, hora marcada e assentos marcados.

Venda de ingressos de eventos culturais em bilheterias físicas, desde que respeitados protocolos sanitários e de distanciamento.

Assentos e filas respeitando distanciamento mínimo.

Proibição de atividades com público em pé.

Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Demais atividades que geram aglomeração

Não são permitidas.

Últimas