Novo Coronavírus

São Paulo SP distribuirá 2 milhões de doses da CoronaVac por semana, diz governo

SP distribuirá 2 milhões de doses da CoronaVac por semana, diz governo

Imunizante partirá da central logística do Instituto Butantan aos 200 municípios mais populosos com entregas semanais 

  • São Paulo | Do R7

Resumindo a Notícia

  • São Paulo distribuirá dois milhões de doses da CoronaVac por semana
  • Imunizante partirá da central logística do Instituto Butantan aos 200 municípios mais populosos
  • As doses serão distribuídas nos 5.200 postos de vacinação do estado
  • A vacina ainda não possui liberação para o uso emergencial nem a aprovação da Anvisa
Carregamentos de CoronaVac chegam ao país pelo aeroporto de Guarulhos (SP)

Carregamentos de CoronaVac chegam ao país pelo aeroporto de Guarulhos (SP)

Willian Moreira/Futura Press/Folhapress - 03.12.2020

O secretário executivo estadual de saúde, Eduardo Ribeiro, apresentou nesta segunda-feira (11) o plano de logística para a distribuição da CoronaVac em São Paulo. De acordo com ele, serão distribuídas dois milhões de doses por semana com caminhões refrigerados que percorrerão 70 rotas semanalmente.

"A vacina partirá da central logística do instituto aos 200 municípios mais populosos com entregas semanais e abastecendo 25 centros de distribuição regional onde 445 municípios farão retiradas semanais", afirmou. As Prefeituras, informou o governo, deverão garantir abastecimento nos postos de vacinação. No entanto, a vacina ainda não possui liberação para o uso emergencial nem a aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O imunizante será distribuido nos 5.200 postos de vacinação, que poderão chegar a 10 mil locais - com a utilização de escolas, quarteis da PMs. Serão 75 mil pessoas envolvidas, com 25 mil policiais para fazer a escolta e 52 mil profissionais da saúde para organização das salas de vacinação, aplicação da vacina, preenchimento de fichas, entre outras atividades.

Os postos de saúde estarão abertos das 8h às 22h de segunda a sexta-feira e das 8h às 18h aos sábados, domingos e feriados. O secretário explicou que ainda não há expectativa de dividir a população em subgrupos etários. "Os municípios ampliaram o horário de funcionamento da rede para que se permita um maior escalonamento ao longo do dia, priorizando a população idosa no início do dia e a população mais jovem mais para o final do dia", disse o secretário. "Muitos trabalhadores de saúde acabam se imunizando no próprio local de trabalho."

A distribuição terá apoio da Força Tática, Rocam, guarda montada no Butantan e aticulação de comando regionais com guardas municipais. Serão 5.200 câmaras de refrigeração. O governo de São Paulo tem 75 milhões de seringas e agulhas disponíveis. Desse total, 20 milhões foram distribuídas para a rede pública de saúde e, segundo o governo, novos quantitativos serão enviados proporcionalmente aos municípios com base nas grades semanais de vacinas.

 A vacinação com a CoronaVac está prevista para começar no dia 25 de janeiro - dia do aniversário de São Paulo. No dia 7 de janeiro, o Butantan informou que a CoronaVac apresenta 78% de eficácia na prevenção de casos leves da doença causada pelo coronavírus. Essa eficácia, porém, aumenta para 100% para casos graves e moderados. Segundo o instituto, quem tomar a vacina do Butantan estará com a vida salva e com chances mínimas de agravamento da covid-19.

Nesta segunda-feira (11), a Agência de Alimentos e Medicamentos da Indonésia comunicou nesta que a CoronaVac teve 65,3% de eficácia após testes clínicos realizados no país. Os resultados são preliminares. “Esses resultados atendem aos requisitos da Organização Mundial da Saúde de um mínimo de eficácia de 50%”, disse Penny K. Lukito, que dirige a agência reguladora de alimentos e medicamentos do país, observando os resultados de ensaios no Brasil e na Turquia.

Últimas