SP: Em protesto, moradores de rua acampam em frente à prefeitura

Grupo reivindica melhores condições nos abrigos e acesso aos serviços de saúde, incluindo produtos de higiene e proteção ao novo coronavírus

Em protesto, moradores de rua acampam em frente à prefeitura de SP, no centro

Em protesto, moradores de rua acampam em frente à prefeitura de SP, no centro

TABA BENEDICTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Dezenas de moradores de rua estão acampados no entorno da sede da Prefeitura de São Paulo, no centro da cidade. O grupo reivindica melhores condições nos abrigos mantidos pela administração municipal e acesso aos serviços de saúde, incluindo produtos de higiene e proteção no combate ao novo coronavírus.

Leia mais: 59% dos restaurantes e bares de SP não vão abrir, diz associação

Os sem-teto montaram barracas na praça do Patriarca, que fica a cerca de 50 metros da sede do poder municipal. Outras barracas estão na frente do prédio, que fica no viaduto do Chá.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo informou que as reivindicações dos movimentos em situação de rua estão sendo atendidas desde o início da pandemia de acordo com o decreto 59.283/2020.

Veja também: Jovem encontrada morta no litoral de SP foi asfixiada, diz polícia

A prefeitura destacou ainda que as secretarias de Assistência e Desenvolvimento Social, Esporte e Lazer e Educação criaram 1.072 novas vagas para acolhimento de pessoas em situação de rua, sendo 672 em oito equipamentos emergenciais, e outras 400 foram criadas em quatro Centros Educacionais Unificados (CEUs), Alvarenga (Cidade Ademar), Aricanduva (Itaquera), Tiquatira (Penha) e Meninos (Ipiranga). Todos funcionam 24 horas.

Um abrigo na Lapa é destinado a pessoas com suspeita de covid-19 e outro na região da Vila Clementino atende pessoas com diagnóstico positivo para o novo coronavírus.

Leia ainda: Covid: secretário de Cultura de SP prevê déficit de R$ 34 bilhões

Segundo a prefeitura, os Centros de Acolhida têm as estruturas higienizadas constantemente e são mantidas as janelas abertas. Nos quartos, as camas foram colocadas em distância segura. As visitas estão suspensas. 

Ressalta que foram distribuídos 3,6 mil kits de higiene, além da doação de 80 mil máscaras. Sanitários e 11 lavatórios foram instalados no centro com água potável.

De acordo com o Censo da População em Situação de Rua 2019, 24.344 pessoas estão nas ruas na cidade de São Paulo, sendo que 11.693 foram acolhidas nos serviços da rede socioassistencial e 12.651 em situação de rua.