São Paulo SP: família denuncia excessos de PM após morte em abordagem 

SP: família denuncia excessos de PM após morte em abordagem 

Polícia Militar alega que homem estava armado com faca e foi em direção aos policiais, que reagiram e atiraram sete vezes 

  • São Paulo | Letícia Assis, da Agência Record

Abordagem aconteceu na rua João Paulo, em Itaquaquecetuba

Abordagem aconteceu na rua João Paulo, em Itaquaquecetuba

Reprodução/ Google Street View

Um homem foi morto a tiros durante uma abordagem da Polícia Militar na rua João Paulo, em Itaquaquecetuba, na Região Metropolitana de São Paulo, na tarde de sábado (13). Patrick Roger da Costa, de 34 anos, levou sete tiros. Segundo a família da vítima, os dois PMs envolvidos na ação cometeram excessos. A corporação alega legítima defesa.

Segundo a polícia, equipes foram encaminhadas ao local após uma denúncia de um homem que estaria armado na rua. Após a identificação do rapaz, policiais, que estavam de moto, tentaram fazer uma abordagem. Mas o suspeito estava armado com um facão e começou a caminhar na direção aos policiais.

A polícia informa que os dois PMs pediram para que ele parasse e, por não obedecer a ordem, atiraram. Um deles atirou uma vez. O outro, seis. Patrick foi atingido nas pernas e no abdômen. Equipes do Samu foram chamadas, mas não compareceram ao local. A vítima foi levada por populares ao Hospital Marcelina de Itaquaquecetuba.

Ainda segundo a polícia, familiares relataram aos policiais que a vítima estava bebendo desde a noite anterior por problemas conjugais. Ele teria pegado o facão e dito para a mãe que aquele dia era "tudo ou nada", momentos antes da chegada da PM.

Foi requisitada perícia para o local. As armas dos policiais foram apreendidas e os PMs envolvidos foram ouvidos e liberados. O caso foi registrado como legítima defesa, resistência e morte decorrente de intervenção policial, na Delegacia de Itaquaquecetuba. As investigações seguem pelo Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP).

Últimas