São Paulo SP: manifestação por jovem morto termina em confronto em Diadema

SP: manifestação por jovem morto termina em confronto em Diadema

Familiares de Bruno Fuentes, morto por suposto disparo acidental, pediam por justiça. Agentes da GCM e motociclistas entraram em confronto

  • São Paulo | Elizabeth Matravolgyi, da Agência Record

Familiares ainda contam que foram disparadas balas de borracha

Familiares ainda contam que foram disparadas balas de borracha

Divulgação/ Agência Record

Familiares e amigos protestaram neste domingo (15) contra a morte de Bruno Gomes de Lima Fuentes, de 23 anos, durante uma abordagem policial. A manifestação ocorreu na rua Umuarama, no bairro Piraporinha, em Diadema, região metropolitana de São Paulo.

O protesto questiona a abordagem da GCM (Guarda Civil Metropolitana) no episódio que provocou a morte do jovem. A família contesta a versão da Polícia Militar de que o tiro, que atingiu o pescoço e tirou a vida de Bruno na noite de terça-feira (10), foi acidental.

O ato contou com cartazes e buzinas de um grupo de motociclistas.

De acordo com a família, a PM prestou apoio na ocorrência e o protesto acontecia de forma pacífica. Momentos depois, a GCM foi acionada. Segundo manifestantes, as equipes agiram de maneira violenta. Vídeos mostram o momento em que agentes usam bombas de efeito moral e sprays de pimenta. Familiares ainda contam que foram disparadas balas de borracha.

De acordo com a GCM, equipes foram acionadas por PMs porque um grupo de motociclistas estava fazendo manobras arriscadas na via, próximo a uma escola em processo eleitoral. Na chegada, agentes teriam sido recebidos com objetos jogados pelos manifestantes.

Ainda de acordo com a GCM, em determinado momento, quatro pessoas foram vistas segurando armas de fogo e foi solicitado o auxílio de mais equipes.  Após ouvirem um estampido, um dos agentes informou ter sido ferido na perna. Depois de ser encaminhado ao hospital, foi confirmado que o ferimento foi provocado por um disparo de arma.

O agente está internado e não corre riscos. O caso foi registrado no 3° DP de Diadema.

Últimas