São Paulo SP: mulher queimada com etanol morre após ficar 25 dias internada

SP: mulher queimada com etanol morre após ficar 25 dias internada

Geisa Stefanini, de 32 anos, usou o combustível para cozinhar e houve uma explosão. Bebê de 7 meses também ficou ferido

  • São Paulo | Rodrigo Balbino, da Agência Record

Mulher queimada ao cozinhar com etanol morre após ficar 25 dias internada

Mulher queimada ao cozinhar com etanol morre após ficar 25 dias internada

Reprodução Record TV

Geisa Stefanini, de 32 anos, morreu nesta segunda-feira (27), após ficar 25 dias internada no Hospital Vila Penteado, na zona norte da capital paulista. A informação foi confirmada pelo IML (Instituto Médico Legal) Central. Ela teve 90% do corpo queimado após cozinhar com etanol

A vítima foi encaminhada ao hospital no último dia 2 de setembro. Ela foi queimada após uma explosão provocada pelo etanol na casa em que morava com o filho de 7 meses, no bairro de Bussocaba, em Osasco, na Grande São Paulo.

O filho dela, Lucas Gabriel, foi levado para o Hospital das Clínicas com queimaduras em 50% do corpo. Não há informações sobre o estado de saúde dele.

A mulher, que passa por dificuldades financeiras, não tinha dinheiro para o gás e resolveu comprar etanol em um posto de gasolina e improvisou um fogareiro. Ela colocou o combustível em uma lata para esquentar a comida e o líquido entrou em combustão causando as queimaduras na mãe e na criança.

O pai do bebê estava separado de Geisa há quatro meses e disse não saber das dificuldades financeiras da família.

Segundo informações do IML, o corpo de Geisa passou por exames necroscópicos.

Últimas