São Paulo SP registra cinco casos de violência doméstica a cada 2h na pandemia

SP registra cinco casos de violência doméstica a cada 2h na pandemia

Total de casos registrados pela internet chegou a 5.559, que representam 20% do total de boletins eletrônicos feitos no estado de abril a junho deste ano

  • São Paulo | Do R7

Na pandemia, 20% dos B.O.s eletrônicos registra violência doméstica

Na pandemia, 20% dos B.O.s eletrônicos registra violência doméstica

Pixabay

A cada duas horas, cinco boletins de ocorrência de violência doméstica foram registrados pela internet no estado de São Paulo entre abril e junho deste ano, de acordo com dados divulgados pela SSP (Secretaria de Segurança Pública) nesta quarta-feira (5). O número total é de 5.559 registros - mais de 60 por dia. 

A possibilidade de denunciar casos de violência doméstica pela Delegacia Eletrônica foi implementada no dia 3 de abril. O crime representa 20% de um total de 29.117 denúncias realizadas pela internet no segundo trimestre deste ano. 

Na avaliação da SSP, "a iniciativa da Polícia Civil de ampliar os crimes que podem ser registrados por meio da Delegacia Eletrônica tem encorajado vítimas de violência doméstica a denunciarem seus agressores, especialmente neste período de quarentena".

Medidas protetivas

Entre abril e junho também foram expedidas 14.720 medidas protetivas de urgências, que proíbem agressores de se aproximarem de suas vítimas. Só em junho, foram 5.727. 

Além do boletim eletrônico, as vítimas podem usar o aplicativo SOS Mulher, que permite que as vítimas de violência doméstica - que possuam medida protetiva expedida pela Justiça - peçam ajuda quando estiverem em situação de risco apertando um botão no celular.

Os boletins de ocorrência de violência doméstica passam por uma triagem e são encaminhados às DDMs (Delegacias de Defesa da Mulher) da região. O estado de São Paulo tem 134 DDMs em funcionamento. Dez funcionam no sistema de 24 horas. Cidades que não possuem delegacia especializada, direcionm o caso à delegacia responsável pela região da residência da vítima. Os delegados responsáveis devem providenciar diligências e perícias necessárias e entrar em contato com as vítimas.

Desde que entrou em funcionamento, no ano 2000, a Delegacia Eletrônica já registrou mais de 11 milhões de ocorrências. Também é possível registrar o crime presencialmente nas delegacias. 

Últimas