São Paulo SP: suspeita de mandar matar namorado violou ordem da polícia

SP: suspeita de mandar matar namorado violou ordem da polícia

Cinco dias depois de supostamente ordenar o crime, Anne foi à casa da vítima em um condomínio de luxo e ficou 3h no local

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record T

Anne e Vitor

Anne e Vitor

Reprodução/ Record TV

A milionária suspeita de ter mandado matar o namorado em São Paulo violou uma ordem policial e entrou na casa dele, de acordo com informações exclusivas do Jornal da Record. A polícia também já tem informações de que ela tinha passagens compradas para fora do país.

Cinco dias depois de supostamente mandar matar o namorado, Vitor Alex Ribeiro de Souza, a empresária Anne Cipriano Frigo teria ido com um carro preto até a casa dele em um condomínio de luxo. Ela teria ficado três horas na residência e deixado o local em outro veículo, um utilitário branco. A suspeita é de que ela esteve no imóvel para tentar eliminar qualquer prova do crime.



Segundo o relatório de investigacao do Departamento de Homicídios a que o Jornal da Record teve acesso, Anne também mandou três funcionários até a residência para encaixotar todas as coisas que estavam na casa. O documento afirma ainda que a atitude da empresária foi contrária à recomendação da polícia. A ordem era não mexer na casa da vítima até a realização da perícia.

Vitor foi assassinado no último dia 16. A polícia diz que o crime foi encomendado pela namorada dele, que contratou Carlos Alex Ribeiro de Souza para matá-lo. Ele é corretor de imóveis e prestava serviços para o casal. Anne e Carlos foram presos na terca-feira (29).

Nesta quinta-feira (1), Carlos veio até a delegacia para ser novamente ouvido pela polícia. Desta vez, acompanhado de um advogado.


A polícia já começou a analisar os telefones celulares apreendidos. Os investigadores também  descobriram que Anne estava com passagem comprada para viajar nesta quinta para o exterior. A suspeita é de que a empresária pretendia fugir do país.

Por telefone, o pai de Vitor disse nesta quinta que não acredita na inocência de Anne.
“Eu desejo que justiça seja feita porque foi uma traição dos dois contra ele. Agora ela está dizendo que não mandou matar. Como, se ela estava com o celular dele?”, questionou o pai da vítima.

Últimas