São Paulo SP tem 2º dia na fase vermelha com cidades contrariando restrições

SP tem 2º dia na fase vermelha com cidades contrariando restrições

Medida ainda vale neste sábado (26) e domingo (27), mas não será cumprida na Baixada Santista, em Cotia e em Mogi das Cruzes

  • São Paulo | Do R7

Resumindo a Notícia

  • Neste sábado (26), Estado de São Paulo enfrenta o segundo dia da fase vermelha do Plano SP
  • Apenas serviços essenciais, como farmácias e supermercados, podem abrir as portas
  • Shoppings, lojas, concessionárias, escritórios, bares e restaurantes precisam permanecer fechados
  • Objetivo é frear a contaminação pelo novo coronavírus e impedir um colapso no sistema de saúde
Ruas vazias no centro de São Paulo durante a fase vermelha temporária no estado

Ruas vazias no centro de São Paulo durante a fase vermelha temporária no estado

RENATO S. CERQUEIRA / FUTURA PRESS / ESTADÃO CONTEÚDO - 25.12.2020

O Estado de São Paulo entra neste sábado (26) no segundo dia de fase vermelha temporária, com liberação apenas para o funcionamento de serviços essenciais. Há, no entanto, cidades que contrariam a medida sob a justificativa de que foi decretada de forma tardia, inviabilizando a organização do trabalho de fiscalização.

Farmácias, mercados, padarias, postos de combustíveis, lavanderias e serviços de hotelaria podem abrir. Está proibido o atendimento presencial em shoppings, lojas, concessionárias, escritórios, bares, restaurantes, academias, salões de beleza e estabelecimentos de eventos culturais.

A medida vale até domingo (27). A partir de segunda-feira (28) e até quinta-feira (31), volta a vigorar a fase amarela do Plano SP, com abertura de todos os setores de economia, com restrições e seguindo todos os protocolos de segurança. O uso de máscaras de proteção é obrigatório e o uso recorrente de álcool gel, recomendado.

A medida restritiva foi divulgada pelo governo paulista na última terça-feira (22) com o objetivo de evitar um possível colapso no sistema de saúde em razão do aumento de casos do novo coronavírus. Mas a região da Baixada Santista e municípios como Mogi das Cruzes e Cotia não vão aderir à medida, por ter sido publicada sem que houvesse tempo hábil para organizar a fiscalização.  

Além disso, as cidades da Baixada Santista alegaram que as empresas e comércios já tinham estoques e funcionários contratados. O decreto que regulamenta as medidas, de nº 65.415/2020, foi publicado na quinta-feira (24).

Na Baixada Santista, foram montadas barreiras sanitárias para inibir a entrada de turistas que fazem o chamado "bate e volta". Na virada de ano-novo, entre os dias 31 e 1, as praias serão fechadas.

Últimas