São Paulo SP tem 66% dos hospitais privados ocupados por pacientes com covid 

SP tem 66% dos hospitais privados ocupados por pacientes com covid 

Secretaria Municipal de Saúde abrirá 200 novos leitos de enfermaria nos Hospitais da Brasilândia e de Parelheiros para casos leves

  • São Paulo | Do R7

Hospital na Brasilândia receberá novos pacientes leves infectados por covid-19

Hospital na Brasilândia receberá novos pacientes leves infectados por covid-19

Edson Lopes JR/Secom/ Prefeitura de São Paulo

O secretário de saúde da cidade de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou nesta quinta-feira (26) que a taxa de ocupação de pacientes com covid-19 nos hospitais municipais privados é de 66% dos leitos e nos hospitais estaduais da cidade, 60%.

Leia mais: Doria defende que Brasil tenha até 4 tipos de vacina contra a Covid-19

O secretário afirmou ainda que a pasta abrirá mais 200 novos leitos de enfermaria nos Hospitais da Brasilândia e de Parelheiros para internação de pacientes com casos leves de covid-19.

Segundo Aparecido, a cidade tem atualmente 49% de ocupação dos leitos de UTI, 60% de ocupação dos leitos nas enfermarias e 31% em leitos em prontos socorros. A taxa, de acordo com ele, se mantém regular nos últimos sete dias.

A média móvel de casos de covid-19 na terça-feira (24) foi de 389 casos. Segundo os números, no dia 10 de junho, no ápice da pandemia, a média móvel de casos foi de 2.749 casos. Em relação aos óbitos, a média móvel do dia 24 foi 12 mortes. No pico da pandemia, em 22 de maio, foi de 121 óbitos. 

Em relação às internações na rede municipal, entre o período de 7 de abril e 25 de novembro, foram registradas 839 pacientes internados. Segundo Aparecido, o município está no mesmo patamar desde 13 de outubro. 

De acordo com os dados divulgados pela pasta, em novembro, foram registradas 2.899 internações. Dessas, 2.320 de residentes na cidade e 579 não residentes, o que equivale a 20%.

"Continuamos nessa gravíssima pandemia. Criamos o Plano São Paulo que garantem o aumento da restrição ou a flexibilização e fazemos isso de forma heterogenea. São Paulo não esconde dados", disse o governador São Paulo.

Últimas