São Paulo SP terá 5 mil tornozeleiras para rastrear agressores de mulheres

SP terá 5 mil tornozeleiras para rastrear agressores de mulheres

Iniciativa de combate à violência doméstica e deve funcionar a partir de novembro, com investimento de R$ 200 mil

  • São Paulo | Do R7

Aquisição de equipamentos será realizada pela da Prodesp (Empresa de Tecnologia do Estado de SP)

Aquisição de equipamentos será realizada pela da Prodesp (Empresa de Tecnologia do Estado de SP)

Reprodução/Record TV

São Paulo pretende fazer a compra de cinco mil tornozeleiras eletrônicas que servirão para rastrear agressores de mulheres, assim como cinco mil dispositivos de aproximação, que serão entregues às vítimas. A iniciativa faz parte do combate à violência doméstica e deve funcionar a partir de novembro deste ano. A aquisição dos equipamentos será realizada por meio da Prodesp (Empresa de Tecnologia do Estado de SP).

Com o uso da tecnologia e sistema de geolocalização, o rastreador do equipamento soará um alarme assim que o agressor ultrapassar, em metros, a área delimitada na decisão judicial e enviará um aviso à Polícia Militar.

As etapas e estratégias de implantação da monitoração eletrônica dos agressores serão definidas pela SJC (Secretaria da Justiça e Cidadania), que coordena o grupo de trabalho criado para discussão e implantação de políticas em defesa das mulheres no estado.

"É mais uma segurança que as mulheres vítimas de violência doméstica têm, para que elas continuem suas vidas sem a ameaça do retorno dos agressores", afirma o secretário da Justiça e Cidadania, Fernando José da Costa

A Prodesp será responsável pela compra, instalação e monitoramento dos equipamentos de rastreamento. A previsãl é de que o estado invista cerca de R$ 200 mil por dia na manutenção do sistema, quando todo o processo de implantação for concluído.

O processo de implantação e funcionamento de todo o sistema será acompanhado pela SJC, pela SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) e SSP (Secretaria de Segurança Pública), além da PGE (Procuradoria-Geral do Estado). A Corregedoria-Geral da Justiça também faz parte do grupo de trabalho, representando o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

Últimas